segunda-feira, janeiro 29, 2018

Mudanças no trânsito devem alcançar até a Hugo de Mendonça

Aguiarzinho
            A segurança no trânsito é dever de todos. Não adianta ficar botando a culpa somente nas autoridades, na falta de sinalização, ou nas outras pessoas. É preciso que cada pessoa tenha consciência da sua responsabilidade.
            À imprensa não cabe apenas noticiar os acidentes, que de tão frequentes, já não causam mais grande espanto quando acontecem. Deve a imprensa, com o poder de alcançar muita gente simultaneamente, ir além, promovendo discussões que chamem atenção do público e das autoridades para que cada um, dentro das suas possibilidades saia da inércia para a ação.
            Dentro desse contexto, tem sido frequente a veiculação de matérias pelo Jornal do Comércio e pelo blog do Jota Parente, abordando a problemática do trânsito em Itaituba, a ponto de uma de nossas matérias sobre os estarrecedores números de acidentes e mortes em 2015, no JC que circulou na segunda quinzena de janeiro de 2016, ter levado o vereador Peninha a requerer uma audiência pública na Câmara, que foi muito concorrida e que apresentou bons resultados.
            Neste começo de ano, até agora, morreram duas pessoas em acidentes de trânsito, sendo a média bem menor do que a do ano passado, que terminou com 40 mortes.
            O programa O Assunto é Este, sábado, 27/01, voltou a falar de trânsito. E foi muito positiva a discussão, pois, o feedback do público ouvinte expressivo e aprobativo. Obviamente, quem aprovou foi gente preocupada em ver Itaituba com um trânsito muito mais civilizado, muito mais humano.
            O programa contou com a participação, no estúdio da Alternativa FM, do ex-diretor da Comtri e do Detran, João Paxiúba, do atual diretor do Detran, Deck Melo e do vereador Peninha, que já foi diretor do Detran e tem leis aprovadas, tornando algumas ruas em mão única e mudando algumas coisas na Rua Hugo de Mendonça. O atual coordenador da Comtri, José de Arimateia Aguiar (Aguiarzinho), também deu sua contribuição importante, através de uma reportagem gravada.
            Foi exatamente Aguiarzinho o primeiro a falar, respondendo a questionamentos sobre os trabalhos de sinalização que estão para começar, sobre vias que vão ser mão única, e outros assuntos. Por ser um assunto muito atual, o primeiro ponto abordado por ele foi a sinalização.
            “Foi assinado esse convênio com o governo do Estado no valor de quase R$ 4 milhões. A empresa já está em Itaituba, 80% dos materiais já estão aqui na cidade, mas, um acidente com o proprietário da empresa vencedora da licitação para realizar o trabalho causou um atraso. O senhor Antônio Bandeira caiu de um caminhão que estava descarregando os materiais, tendo fraturado o fêmur, tendo que alugar um avião para leva-lo para Belém.
            A partir desta segunda, 29, o pessoal já vai começar a pintar os postes para que se inicie o trabalho de sinalização vertical, que não é coisa pouca, pois serão colocadas 1.300 placas; em seguida serão colocados seis semáforos novos e por último, a sinalização horizontal. Serão contempladas 70 ruas. Isso inclui a revitalização das ruas que já estão sinalizadas, mas, que já tiveram placas arrancadas, e ruas onde a sinalização horizontal já está apagada” disse Aguiarzinho.
             Houve um atraso na entrega dos postes para a sinalização vertical. São 1.300 ao todos, mas, apena cerca de 200 foram entregues até o momento. O coordenador da Comtri disse que conversou com o proprietário da madeireira responsável, o qual informou que houve um atraso em função de dificuldades para tirar os postes, mas, que o serviço está andando, e que isso não deverá provocar retardamento nos serviços a partir do momento em que forem iniciados.
            Uma questão que está na ordem do dia, inclusive, sendo discutida nas redes sociais, diz respeito à transformação de algumas vias em mão única. Existem algumas leis aprovadas pela Câmara municipal e sancionada pelo Executivo, tratando da matéria. A hora de fazer isso é agora, e o coordenador da Comtri garante que nada deixará de ser executado.
            “Nós vamos começar pela Avenida Getúlio Vargas, que continuará como mão única, mas, que sofrerá algumas alterações onde há necessidade de mudar alguma coisa, como na área do porto da balsa. Depois, seguiremos pela Travessa João Pessoa, Travessa 13 de Maio, Travessa Lauro Sodré e todas as demais vias que tiveram leis aprovadas pela Câmara. Vamos aproveitar a oportunidade para executar essas medidas.
            Existe uma lei aprovada, tratando da Rua Hugo de Mendonça, que determina o estacionamento de veículos apenas de um lado, e hoje continua sendo feito dos dois lados. Nós vamos implementar também isso, pois esse estacionamento como está no momento dificulta a trafegabilidade. Temos 60 dias para fazer todo o trabalho, e vamos fazer”.
            Ainda existem algumas dúvidas que precisam ser dirimidas, e a lei que tornou a João Pessoa em mão única necessita ser atualizada é uma delas, pois, em princípio, a intenção era o tráfego fluir por ela em direção à beira do rio, entretanto, há de se levar em conta o fluxo de carros que saem da balsa, que precisam subir em alguma via, o que faz muitos anos se dá pela João Pessoa.
            Questionado sobre o apoio do prefeito Valmir Climaco, ele disse que o gestor empenhou-se muito para que esse convênio saísse da gaveta, e que o objetivo dele é trabalhar para diminuir o número de acidentes e de mortes. Valmir tem dado todo o apoio para que isso aconteça.

            Sobre o convênio em vigor, que dá direito aos agentes da Comtri atuar na competência dos agentes do Detran, e vice-versa, Aguiarzinho afirmou que melhorou muito o desenvolvimento dos trabalhos. Os dois órgãos, Comtri e Detran tem feito muitas ações conjuntas, com apoio da Polícia Militar, o que tem retirado muitos veículos irregulares das ruas. Disse que o trabalho vai continuar, corroborado pelos bons resultados que vem sendo alcançados.