quarta-feira, agosto 09, 2017

Energia elétrica voltou a 1:05 da manhã desta quarta

Foram longa 33 horas e meia sem energia elétrica na cidade de Itaituba, maior período sem esse bem cuja verdadeira importância só se mede realmente quando ele falta.
            Durante esse longo tempo, a cidade parou.
            Muitas lojas, simplesmente, fecharam suas portas, porque dependendo do tipo der atividade, nada podia fazer, e mesmo quem não fechou, teve seus negócios altamente prejudicados, por havia um monte de coisas afetadas pela falta de eletricidade.
            HMI – O setor de urgência e emergência funcionaram com restrições, porque o grupo gerador do Hospital Municipal é pequeno, não tendo capacidade para fazer funcionar equipamentos da maior importância, como as máquinas de Raios-X e Ultrassonografia.
            O aparelho de Raios-X precisa de energia com boa potência e estabilizada, tendo um transformador somente para ele. Quando ao aparelho de ultrassom, embora consuma menos, mesmo assim, não tem condições de trabalhar com a energia desse pequeno grupo gerador.
            A reportagem do blog, que esteve no HMI, verificando essa situação da geral própria de energia, foi informada pelas pessoas responsáveis, que o laboratório de exames clínicos estava em condições de atende exames de urgência pedidos pelos médicos, evitando os de rotina.
            Cirurgia, somente as de urgência estavam sendo feitas, ficando as cirurgias eletivas para quando a enérgica elétrica fornecida pela Celpa fosse restabelecida, como foi.

            Como as interrupções no fornecimento de energia não tem sido por tempo prolongado ao longo dos últimos anos, nunca tinha ficado tão claro que o Hospital Municipal de Itaituba estava precisando de um grupo-gerador mais potente. Mas, agora, diante dessa experiência, a prefeitura deve ser preocupar em trocar esse equipamento de pouca potência por um que atenda a todas as necessidades do hospital.