sexta-feira, julho 14, 2017

Segup admite execuções em Pau D'Arco

“Não há dúvidas de que o que aconteceu lá foi execução”, disse o delegado-geral Rilmar Firmino durante apresentação
O que ocorreu no município de Pau d’Arco, em 24 de maio deste ano, foi execução, afirma a própria Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), após o resultado dos exames balísticos feitos pelo Centro de Perícias Científicas Renato Chaves. 

Em entrevista coletiva concedida ontem à tarde, o secretário de Segurança Pública, general Jeannot Jansen, chamou de “traidores” os responsáveis pelas 10 mortes na fazenda Santa Lúcia, em Pau D’Arco. 

“Estamos conduzindo essa investigação com isenção, rigor, transparência, celeridade e determinação. E por mais que a verdade seja dolorosa, temos de reconhecer que agentes de segurança pública traíram o Estado. Foi intolerável. 

É a primeira vez que a Segup reconhece que há fortes indícios de execução”, declarou o secretário, ao informar que havia uma operação - legal, planejada e autorizada - para o cumprimento de 14 mandados de prisão na fazenda Santa Lúcia, mas ficou comprovado que policiais civis e militares mataram as vítimas com as armas do Estado. 

O Ministério Público do Pará (MPPA) afirma que os acusados mataram com objetivos financeiros.

Fonte: O Liberal