quarta-feira, julho 19, 2017

Parte Social da Feira Agropecuária foi terceirizada por Cazuza Produções

Resultado de imagem para Fotos de Antônia Gurgel, ItaitubaA presidente do SIPRI, Antônia Gurgel, preferente não aprofundar a discussão sobre o assunto, mas, a edição de 2016 da Feira Agropecuária foi muito complicada por conta da interferência de uma grande autoridade do município, cujo nome ela prefere não citar. No seu entendimento, posições políticas divergentes fizeram com que isso acontecesse. O resultado foi sentido no caixa, que não alcançou o resultado que poderia ter dado.
Blog do JP - A edição deste ano da Feira Agropecuária de Itaituba terá uma nova direção, uma vez que a diretoria do SIPRI achou por bem terceirizar o evento. A reportagem do blog do Jota parente e do Jornal do Comércio conversou com a presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Itaituba, Antônia Lemos Gurgel, que nos fala a respeito do assunto.
Antônia - Na verdade, nós recebemos essa proposta do Cazuza, que tem sido um grande parceiro do Sindicato dos Produtores Rurais, com benéficos, tanto para o sindicato, quanto para ele, no aspecto financeiro.
Blog do JP – Isso será positivo para o sindicato?
Antônia – Sim, com certeza será muito positivo. Nós firmamos essa parceria e vamos trabalhar juntos, porque dando certo para o Cazuza, vai dar certo para o Sindicato dos Produtores Rurais também.
Blog do JP – Antônia, na feira do ano passado, alguns problemas fizeram com que o balanço fechasse no vermelho?
Antônia - Foram inúmeros problemas, como toda a população de Itaituba deve estar sabendo, e não vale muito a pena a gente relatar, mas, nós tivemos algumas situações que fugiram da nossa alçada, e não foram problemas que nós provocamos, ou que tenham sido provocados pelo Sindicato dos Produtores Rurais.
Em virtude desses problemas, este ano nós resolvemos mudar o formato da Feira, até pela proposta que nós recebemos. Sem precisar citar nomes, houve pessoas que trabalharam de uma forma muito clara para prejudicar o evento, e isso deu resultado negativo, sim. Com certeza, devido a todas as arbitrariedades cometidas por essas pessoas, de fato ajudaram a fazer com que o resultado fosse negativo.
Nós trouxemos cantores conhecidos, artistas que estavam na mídia nacional, inclusive, solicitados pelo povo de Itaituba. Um dos artistas que nós trouxemos ano passado, Israel Novaes, foi feita uma enquete, e ele foi o preferido da maioria. Então, foi uma feira que foi bem elaborada, bem estudada para dar certo. Mas, devido às retaliações que nós sofremos, isso repercutiu no resultado de forma negativa.
A gente acredita que agora, com certeza essa parceria vai dar certo, com este contrato feito pelo SIPRI com a empresa Cazuza Produções.

Blog do JP – A feira de 2016 deixou um prejuízo de mais de R$ 100 mil. Com essa terceirização o SIPRI vai conseguir honrar os compromissos que ficaram pendentes ainda da feira do ano passado?
Antônia – Sim, com toda certeza nós iremos honrar os nossos compromissos, porque, como eu tenho falado para você, nós estamos aqui firmando uma parceria e a partir desse momento nós, com conhecimento que já temos, e a experiência do Cazuza na realização de eventos, a partir do momento que nós nos unirmos, tem tudo para conseguirmos bons resultados.
Blog do JP - Presidente Antônia Gurgel, algumas atividades na feira são diretamente ligadas ao SIPRI, como a exposição dos animais e o leilão. Com a terceirização do evento, elas continuam com o sindicato?
  Antônia - Os concursos sempre vão continuar com essa responsabilidade do SIPRI, Parente. O Cazuza é responsável pela programação social, como por exemplo, os shows durante a Feira de Exposição. A gente vai realizar o leilão, o julgamento dos animais, e a locação dos terrenos também é com o Sindicato dos Produtores Rurais.
Blog do JP – Essa parte do concurso de animais e o leilão se paga?
Antônia - O leilão se paga; o julgamento não. O que ocorre com o julgamento é que os expositores que trazem seus animais, tem um gasto, todo ano para trazer esses animais que estão assim acima da média, os quais são bem cuidados. Então, eles tem um gasto muito grande, e para o sindicato, na verdade, isso é muito bacana, porque a Feira de Exposição Agropecuária sem animal exposto não é uma Feira de Exposição.
Temos que organizar uma boa estrutura para esses expositores, e sabemos que nas proximidades de Itaituba nós não temos usina de arroz, o que nos obrigada a trazer palha de Santarém; imagine, a palha de arroz vem de Santarém. É necessário trazer juiz, e a empresa que coleta os dados também é de Fora, o que não é barato. Precisamos arcar com as passagens. É uma série de gastos que temos que enfrentar, e o que nós recebemos dos expositores não cobre essa parte do julgamento. Mas, a gente sabe que tem que fazer, porque é benéfico para o evento.
Blog do JP – Você e os demais membros da diretoria do SIPRI estão confiantes em um bom resultado da feira?
Antônia – Sim, nós temos essa confiança num bom resultado, porque analisamos todos os aspectos. Inclusive, vale a pena ressaltar, que estivemos conversando com o Cazuza sobre a entrada para o parque. Vai ser cobrado um valor simbólico, porque o que acontece na época da Feira é que muitas pessoas pulam o muro, e nós temos muitos prejuízos com isso.
Ano passado eu vi um formato lá no quilômetro 70, que chamou minha atenção, e eu falei que nós poderíamos adotar aqui. Trata-se do fechamento do local onde irão acontecer os shows do Rodeio e tudo mais. Então, você pode adentrar ao parque por um valor simbólico, mas, para adentrar ao local onde está acontecendo os shows você vai ter que entrar ou com a cartela ou com seu ingresso, ou com a sua pulseira. Não vai ser mais tão fácil mais adentrar para poder você assistir aos shows sem querer pagar.
Aqui ainda existe muito isso: as pessoas querem participar, mas não querem tirar um centavo do bolso. Aliás eu não generalizar, porque tem muita gente que paga para entrar, mas, refiro-me a algumas pessoas que usam essa prática. O Cazuza Ainda bem que teve essa enxergou esse problema que causa prejuízos e está agindo dessa forma, o que eu achei que será benéfico, benéfico, porque, com certeza o desperdício vai ser muito menor.
Blog do JP - Este ano, qual será o período de realização da feira?

Antônia – Será de 7 a 15 de outubro.