quarta-feira, julho 19, 2017

Lobista do PMDB admite pagamentos de propina e implica Renan e Jader

Estadão - O lobista Jorge Luz, apontado como operador de propinas do PMDB, afirmou nesta quarta-feira, 19, ao juiz Sérgio Moro que intermediou propina aos senadores Renan Calheiros (AL) e Jader Barbalho (PA) e também ao deputado Anibal Gomes (CE).

Interrogado em ação penal sobre corrupção na Petrobrás, Luz relatou ao juiz da Operação Lava Jato ter usado a conta Headliner, em um banco na Suíça, para realizar os pagamentos ilícitos.

Jorge Luz está preso preventivamente desde 25 de fevereiro por ordem de Moro. O filho dele, Bruno Luz, também está custodiado.

Segundo denúncia da força-tarefa da Lava Jato, pai e filho atuaram como representantes dos interesses de parlamentares e funcionários públicos da Petrobrás corrompidos para recebimento de propina em contratos de aquisição e operação de navios-sonda da Área Internacional da estatal.

Renan, Jader e Anibal têm, reiteradamente, negado de forma enfática recebimento de valores ilícitos.

COM A PALAVRA, JADER BARBALHO
“O senador Jader Barbalho diz que nunca teve conta na Suíça e que cabe a Jorge Luz provar ao juiz os depósitos, o número da conta e as datas. Também diz que conhece Jorge Luz, mas jamais teve algum tipo de negócio. Diz ainda que isso é declaração de criminoso que deve ser investigada pela Justiça”.

COM A PALAVRA, RENAN CALHEIROS 
“O senador Renan afirma que conheceu Jorge Luz há mais de 20 anos e desde então  nunca mais o encontrou. Diz ainda que não conhece nenhum dos seus filhos. Há 20 dias, o senador prestou depoimento ao juiz Sergio Moro como  testemunha de Luz e reafirmou que a citação a seu nome é totalmente infundada”.