terça-feira, junho 20, 2017

Vetos de Temer às MPs 756 e 758 foram destaque na Câmara, hoje

Como já se esperava, o principal assunto na sessão de hoje, na Câmara Municipal, foi o veto do presidente Michel Temer às medidas provisórias que tem grande impacto nesta região.

O veto da MP 758 foi parcial, a que afetava diretamente a Reserva Garimpeira e a Brasauro, como registraram os vereadores Peninha e Davi Salomão.

Vereador Peninha
Do mesmo partido do presidente, o PMDB, Peninha não poupou críticas ao mandatário máximo da nação, afirmando que ele se curvou sob a pressão dos ambientalistas, principalmente, os do Greenpeace e WWF.

O presidente mostrou fraqueza, disse o edil, que pediu que a Câmara mande para o ministro do meio ambiente, Sarney Filho, uma nota de repúdio pela pressão que ele fez junto com os ambientalistas para que o presidente vetasse em vez de sancionar as MPs.

Vereador Davi Salomão
“O homem é fraco; cedeu à pressão. Não conhece a nossa realidade. Para esse povo, nós não valemos nada. O que vale para eles é mato e bicho” desabafou Peninha.

Davi Salomão passou algumas informações, da tribuna, que dão tranquilidade aos garimpeiros de Itaituba, mas, nem por isso se pode ignorar a situação do povo de Novo Progresso, cuja PM 756 foi integralmente vetada.

Davi disse que a área do projeto da Brasauro, o Tocantinzinho, ficou livre, assim como a Reserva Aurífera do Tapajós.


É preciso esperar, disse ele, que técnicos especializados definam as leituras das coordenadas geográficas para se saber, exatamente, o que de fato, ficou de fora e o que foi afetado pela MP 758.