quinta-feira, junho 15, 2017

Uso da tribuna da Câmara volta a ser banalizado

Imagem relacionadaQuando foi criado por sugestão do ex-vereador César Aguiar, com a aprovação dos demais vereadores da época, a Tribuna Popular foi recebida com festa, porque abria-se ali a oportunidade de presidentes de entidades, ou qualquer pessoa solicitar o uso do espaço por dez minutos.

Uma condição que deveria ser observada seria a exigência de que deveria tratar-se de algum assunto de interesse da coletividade. Todavia, nem sempre tem sido assim.

Nos tempos em que César ainda era vereador, assim como depois que ele saiu, inúmeras vezes o uso foi completamente desvirtuado, ou banalizado.

Quem, das pessoas que costumam frequentar a Câmara, não lembra do Baiano, que era representante do bairro Jardim Tapajós, que usava a tribuna a torto e a direito, na maioria das vezes, para dizer nada.

Pois ontem um cidadão pediu e teve seu pedido aprovado, para usar a tribuna para reclamar que sua mãe, de 75 anos tinha ido no micro-ônibus do FTD para Santarém, tendo se sentido muito mal com isso.

Não está em discussão aqui, a inconveniência dessa senhora ter viajado no tal transporte, mas, a impropriedade do local da reclamação.

Primeiro, quem se sentir prejudicado numa situação parecida, deve procurar a secretaria de Saúde para registrar sua reclamação. Caso a SEMSA não dê atenção, que seja procurado o Conselho Municipal de Saúde e por último, o Ministério Público. Até mesmo um vereador pode ser acionado na condição de fiscal do povo, mas, jamais caberia o uso da tribuna da Câmara.

Quando o ex-vereador Isaac Dias era o secretário da mesa diretora, ele não deixava isso correr frouxo e cobrava do presidente da Casa de Leia maior seriedade para a concessão do espaço.

O certo mesmo seria a Mesa Diretora chamar para si a responsabilidade da aprovação ou negação do espaço da tribuna, pois seriam evitados constrangimentos pelos quais os vereadores já passaram por situações incômodas, quando pessoas os criticaram cara a cara, em sua casa, depois de eles mesmos aprovarem o uso da tribuna.

Acho que deve continuar sendo concedido esse direito, mas, é preciso que sejam observados critérios. E se a presidência da Câmara tomar a decisão de chamar para a mesa diretora a responsabilidade, não estará retirando de seus colegas de parlamento nenhuma prerrogativa, mas, zelando pelo bom andamento da casa, e evitando jogar para outros uma responsabilidade que é sua.

Jota Parente