terça-feira, junho 06, 2017

Falta de cumprimento da agenda mínima é motivo de críticas

Portos em Miritituba - Foto: Jota Parente
Para amenizar possíveis resistências da comunidade, as empresas proprietárias dos portos graneleiros de Miritituba prometeram mundos e fundos quando estavam querendo apoio para se instalar neste município.

Comprometeram-se em implantar o sistema de captação e distribuição de água no distrito, mas, mudaram o tom da conversa. Já faz tempo que bateram o pé para ficarem apenas com a primeira parte, a captação.

Mas, a agenda mínima tem muitos outros itens não cumpridos pelas empresas.

Sábado passado aconteceu uma concorrida audiência pública solicitada pelo vereador Nem, que é do distrito.

Vários vereadores e muita gente da comunidade compareceu.

Sabem quem faltou? A AMPORT, entidade que representa as ditas empresas. E não compareceu, apesar dos insistentes pedidos para que estive presente.

Hoje, na Câmara, tanto Nem, quanto Peninha, abordaram essa questão.

Peninha apresentou na tribuna, uma cópia do convênio assinado entre a ATAP, agora AMPORT, e a prefeitura de Itaituba, dando destaque ao item 3, no qual a entidade se comprometeu a bancar integralmente a instalação de uma unidade do Corpo de Bombeiros em Miritituba.

Diz o item 3:

...dessa forma, a ATAP assume compromisso de instalar uma unidade do Corpo de Bombeiros em Miritituba, contemplando em seu escopo a construção da edificação, sua equipagem e o fornecimento da viatura de combate a incêndio.

Ademais, a ATAP fará o apoio institucional junto ao Governo do Estado para a questão de contratação de pessoal, conforme solicitação da prefeitura.

Como se observa, era conversa para inglês ver, como diz o velho ditado.