quinta-feira, junho 29, 2017

Ex-deputado Dudimar Paxiúba pode ser candidato em 2018

           Comentários tem circulado nas redes sociais com insistência sobre uma possível candidatura do advogado e ex-deputado federal Dudimar Paxiúba. A reportagem do blog o procurou para saber se de fato ele está aventando essa possibilidade, posto que, ele deu notoriedade a Itaituba enquanto esteve na Câmara Federal.
Dudimar analisa as possibilidades de ter sucesso na tentativa de voltar à Câmara dos Deputados. Ele expressa sua opinião a respeito das expectativas criadas com a eleição do deputado federal Francisco Chapadinha, que segundo ele, tem sido uma grande decepção em termos de retorno dos mais de onze mil votos que recebeu em Itaituba.
Dudimar - Parente, eu tenho conversado com muitas pessoas, até pessoas que me têm causado uma certa surpresa, porque eu não tenha tanta intimidade, tanto conhecimento, não tinha laços de amizade com essas pessoas, e todas elas em termo de provocação, tem feito esse questionamento, o porquê de eu não vir candidato no ano que vem a deputado federal.
Fazendo uma avaliação, fazendo uma análise a respeito do atual momento político do Brasil, do nosso Estado e do nosso município, também passei a me fazer esse questionamento, porque não joguei toalha. Acho que minha missão não está cumprida na vida pública.
 Houve situações que a gente guarda como boas recordações, porque foi algo benéfico para a população. E hoje, confesso que eu cheguei à conclusão que os nossos atuais representantes nos decepcionam, e isso faz com que eu ganhe cada vez mais motivação para mais uma vez colocar meu nome na disposição do eleitorado.
 Se eu decidir por uma candidatura no ano que vem, vai ser outra vez ao cargo de deputado federal. Eu não quero atrapalhar a vida política de ninguém; eu sou, como se diz, um político que não é profissional; eu não vivo da política; eu tenho a minha profissão que exerço com muito orgulho, e que portanto, faz com que eu não entre numa campanha política como se fosse uma situação de vida ou morte. Passa a campanha política eu volto a exercer normalmente a minha atividade de como profissional liberal.
Só tenho motivação para sair candidato se for a deputado federal. Não quero sair a deputado estadual, até porque, certamente, a minha candidatura não ajudaria, e atrapalharia os planos de muita gente que já está na política, e que faz da política uma atividade profissional, que exerce a política, que vive a política 24 horas por dia. Então, estou amadurecendo essa decisão, essa intenção, essa vontade livre e consciente de mais uma vez colocar o nome à apreciação do eleitorado de Itaituba.

Blog do Jota Parente – Quanto ao partido, caso decida mesmo pela candidatura, poderá ser o PROS?
Dudimar - Com relação a partido, isso não me preocupa, embora seja uma decisão que tem que ser tomada com muita tranquilidade, depois de analisar todos os detalhes. Tenho recebido vários convites, vários telefonemas de pessoas que fazem política, que tem a liderança de alguns partidos aqui no estado, partidos. São convites ainda de maneira bastante incipiente que vem sendo feitos. Terá que ser uma decisão conjunta. Ninguém trabalha sozinho.
Provavelmente, essa decisão ocorrendo, nós vamos optar por um partido muito melhor estruturado, um partido que possa me dar um suporte, onde se tenha uma boa retaguarda para cuidar da logística da campanha.
Isso aí é um pesadelo, a falta de uma boa logística, principalmente para quem não tem esse recurso todo, de quem não dispõe de recursos financeiros para fazer frente aos chamados candidatos abastados.
É quase certo de que não há condições de sair candidato pelo PROS, que não nos dá condições de almejar uma vaga na Câmara dos Deputados. O partido não teria possibilidade alguma de fazer a legenda.
Blog do Jota Parente - Você já é um político Experiente; já disputou algumas eleições e exerceu o mandato de deputado federal. Esse conhecimento todo faz você acredita que tem condições de desenvolver um projeto que possa fazer com que haja uma votação expressiva além, incluindo Santarém, o maior colégio eleitoral da região?
Dudimar - Creio que sim. Eu vejo o eleitor de Santarém muito ávido para buscar alternativas em termos de candidatos. Sempre tive em Santarém um ciclo de amizades muito grande. Amo Santarém, onde trabalhei por quase 10 anos. Então, concretizado minha intenção de sair candidato a deputado federal no ano que vem, consequentemente, não poderia ser diferente; passa pela minha cabeça fazer um trabalho mais consistente em Santarém.
As outras três vezes que eu saí candidato a deputado federal, eu avalio que pequei; nossa equipe pecou pelo fato de ter praticamente relegado a último plano o eleitorado de Santarém. Nós vamos dar uma importância muito grande ao eleitorado de Santarém, vamos trabalhar maciçamente nos outros redutos eleitorais, e Santarém - sem esquecer dos demais colégios eleitorais, com Jacareacanga, Aveiro, Trairão, Novo Progresso, Rurópolis e Itaituba - que sempre, vai merecer uma atenção especial. Hoje, aquele município possui mais de 200 mil eleitores; então, Santarém vai receber uma atenção diferenciada.
Blog do Jota Parente - Itaituba tem um deputado federal, Francisco Chapadinha, que teve até um pouco mais de votos do que você. Na época, surfou na popularidade do então pré-candidato a prefeito, Valmir Clímaco, e também, em uma campanha onde ele investiu muito dinheiro. Hoje, que leitura você faz de todos os deputados federais que tiveram votos aqui, principalmente Chapadinha, que foi o mais votado de todos?
Dudimar - A avaliação que eu vou fazer é como cidadão, e como cidadão itaitubense eu gostaria que ele tivesse feito muito mais. Eu imaginava que ele pudesse fazer muito mais. Lembro que logo após a eleição encontrei com deputado estadual Hilton Aguiar. Naquela oportunidade eu já cobrava dele a responsabilidade que havia assumido aqui em Itaituba. Essa responsabilidade havia crescido em razão da eleição do deputado Chapadinha. Disse a ele que nós acompanharíamos atentamente, cobraríamos no momento oportuno através do exercício do mandato.
Chego à conclusão de maneira muito triste, Parente, que o deputado Francisco Chapadinha tem deixado muito a desejar. Itaituba foi esquecida. Se chegou alguma coisa aqui, foi muito pouco pelo volume de recursos que um deputado federal pode indicar no orçamento da União. Se ele tivesse tido um compromisso maior com a sociedade itaitubense, nós teríamos recebido um volume de recurso consideravelmente maior.
As próprias de visitas no deputado, aqui, são muito efêmeras, quase sempre escondidas, ficando restritas somente ao grupo familiar e mais algumas pessoas. Então, o deputado Chapadinha não se colocou à disposição da sociedade itaitubense, como nós imaginávamos que ele fizesse.
Com todo o respeito que eu tenho por todos os deputados federais, dentre esses o deputado Chapadinha, mas com relação a Itaituba, a avaliação que eu faço é de um débito muito grande que ele tem para com os itaitubenses.
E o pior é que vejo já um tempo muito curto daqui para eleição, para que ele possa se recuperar.
Reconheço que eu fiquei muito zangado com o eleitorado itaitubense, quando as urnas foram abertas e eu de maneira muito decepcionante fiquei tive menos votos do que o deputado Chapadinha. Foi como um balde de água gelada. Recebi aquilo como se fosse uma reprovação da minha atividade parlamentar. Hoje eu vejo que a situação é outra, e Itaituba anseia por um representante, Itaituba precisa de um representante na Câmara de Deputados. É uma necessidade premente. E se surgisse uma candidatura de alguém cuja avaliação fosse no sentido de que poderia ser muito mais consistente, poderia se dar de maneira muito mais efetiva e positiva para Itaituba, eu não teria qualquer tipo de cerimônia de abrir mão da minha candidatura em prol desse nome que surgisse.
Na nossa região, quando você compara o meu trabalho com os outros deputados federais, principalmente no nosso município, o que eu fiz no período que passei como deputado federal, e aqui é às favas a humildade, como diz o Ministro do Supremo Gilmar Mendes, eu ganho de goleada quando.
Quando se compara o trabalho de qualquer um outro deputado federal aqui, que tenha também exercido mandato no mesmo período contemporâneo ao período em que eu passei na Câmara dos Deputados, ganho fácil.

É isso que me motiva; é isso que faz com que eu não jogue a toalha; volte, de novo, confiar na população de Itaituba e também procure resgatar a confiança dessa população, eu creio que será muito bom para Itaituba e certamente nós passaremos a ter respeito em termos de representação na Câmara Federal como tivemos, até recentemente.