segunda-feira, junho 05, 2017

Deputados quase vão às vias de fato em Belém: Eder Mauro chama Bordalo de "covarde" e "bandido"

Deputado Bordalo está jurado de morte (Foto: Ricardo Amanajás/Diário do Pará)
Dep. Bordalo
Imagem relacionada
Dep. Eder Mauro
Em meio a inúmeros casos de violência registrados diariamente em Belém e no interior do Estado -- lembrando que há quase duas semanas uma chacina vitimou dez trabalhadores rurais em Pau D'Arco --, mais um caso mostra que o Estado e até mesmo seus representantes estão longe de manter o controle da situação e, até mesmo, de suas próprias ações.

Na manhã desta segunda-feira (05), na sala dos ex-presidentes da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), o delegado de polícia e atualmente deputado federal Eder Mauro (PSD) discutiu de forma áspera com o deputado estadual Carlos Bordalo (PT).

A reunião era para discutir os desdobramentos das investigações da chacina em Pau D'Arco.

Eder Mauro, assim como o vereador Sargento Silvano e o deputado estadual Coronel Neil, presentes na reunião, defendem os policiais e a hipótese de que houve apenas a reação dos policiais diante de possível ataque dos trabalhadores rurais. Já Bordalo, que é o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Alepa, diz que Pau D'Arco foi cenário de execução.

Na discussão, é possível ver e ouvir os gritos do delegado afirmando que Bordalo é "covarde" e "bandido". Segurado por outras pessoas que estavam no local, ele parte para cima de Bordalo, que responde chamando o ex-candidato a prefeito de "fascista".


DOL