quinta-feira, maio 04, 2017

Os Munduruku ganharam o primeiro round, mas, não tem o que comemorar, pois o governo quer acabar com índios e pobres

A Rodovia Transamazônica foi liberada para o tráfego de veículos no final da tarde de hoje. A partir de então, os condutores podem passar à vontade.

O ministério da Justiça acenou com algumas concessões que é melhor esperar para ver até onde irá cumprir esse governo atrapalhado, ruim e desacreditado do Michel Temer e seus apoiadores do PMDB, do PSDB, do DEM, do PR, do PSD, do PTB, do PSD, do PROS, do PPS, do PP e PSB, esse último ameaçando descer do barco, e mais uma penca de partido nanicos, que apoiam um governo que trabalha para tirar do pouco que o pobre tem para dar para o rico que tem muito.

Pois bem, a estrada foi desinterditada porque os Munduruku receberam a promessa de se reunirem com o ministro da Justiça, no dia 15 de maio, além de outra promessa, a de reintegrar os quatro servidores que haviam sido desligados da FUNAI na região.

Eu li uma notícia publica por João Paxiúba, no WhatsApp, que exemplifica muito bem a política de governo e do Congresso para os índios em geral. A matéria não cita qual é a fonte, mas, seja qual for, é muito bem detalhada e sugiro que leiam em um dos grupos, pois o tratamento que está sendo dispensado aos índios pode e talvez deva ser dispensado a muitas outras parcelas da população brasileira.

Recomendo que procurem ler nos grupos, pois é importante tomar conhecimento.

Os políticos, até a chegada do PT ao comando do País, sempre roubaram, mas, tinham o senso de que não podiam levar tudo, pois a fonte secaria. Já o PT, começou a roubar, foi aumentando a dose, foi gostando e foi ficando bom, até que resolveram: quer saber de uma coisa, vamos levar o cofre de uma vez por todas, com tudo que tem dentro. E aí quebraram o País.

Aí chegou a turma do Michel Temer e do Aécio, ambos e mais uma penca de parceiros seus, incriminados na Lava Jato, mas, para os quais o juiz Sérgio Moro não parece ter a mesma disposição de punir como os demais, e resolveram acabar com a pobreza. E qual é a melhor receita para acabar com a pobreza? Acabando com os pobres, claro! Basta ver o que eles querem fazer com a Reforma da Previdência.

Essa cambada é tão perniciosa para o País, que agora, sob a batuta do presidente da Câmara, o também lavador (referente à Lava Jato) deputado Rodrigo Maia, quer dar o golpe do adiamento das eleições do ano que vem.

Se eles tivessem alguma intenção de fazer a coisa certa, fariam uma Reforma Política de Vergonha, mas, aplicariam essa regra da coincidência de mandatos para a eleição subsequente a essa, não para a que está para acontecer.

Como diria o personagem do Flávio Migliasso, da Zorra Total, de anos atrás, esse é o meu País!

E como diria Boris Casoy, isso é uma  vergonha!

Jota Parente