quinta-feira, maio 18, 2017

Como se diria no Chapolin Colorado: e agora, quem poderá nos salvar

Quando a gente pensa que já viu tudo, quando se imagina que não há mais como piorar o que já está ruim demais, eis que os meninos de Brasília nos provam que é possível, sim, piorar a situação.

Nunca morri de amores pelo senhor Michel Temer, mas, como cidadão brasileiro, estava torcendo para que ele conseguisse colocar o país no rumo certo, e excetuando os petistas que são fanáticos – e estou me referindo de forma específica aos fanáticos, pois nem todos os que são do PT se enquadram nessa categoria – penso que todos os brasileiros desejam que, seja quem for o governante, que acerte a mão e faça o Brasil retomar o  caminho da normalidade.

Mas, os meninos de Brasília são traquinas e, pior, não tomam jeito; acham que pode acontecer com todo mundo, menos com eles.

Esse novo escândalo chegou como o escândalo dos escândalos, pois envolve de modo direto um presidente que substituiu uma presidente que sofreu impeachment pelos motivos que todos conhecem fartamente. Ora, o senhor Temer, mesmo sem ser uma figura popular, passou a representar a esperança de mais seriedade, por tudo que aconteceu até que ele sentasse na cadeira de presidente.

E isso está acontecendo no exato momento em que a economia dá os primeiros sinais de recuperação. Agora, só Deus sabe o que vai acontecer.

O Brasil representa, hoje, para todo o mundo, o que há de pior, de mais grave e de mais abominável no que se refere à administração pública, de cima abaixo. Somos motivo de chacota nos cinco continentes.


Vamos ver onde isso vai parar, porque o fundo do poço, que parecia já ter sido visto, pelo jeito, é muito mais embaixo.

Jota Parente