terça-feira, abril 25, 2017

Peninha faz duras críticas sobre calote das terceirizadas que constroem os portos, apresentando números

O vereador Peninha voltou a falar do calote que terceirizadas contratadas pelas empresas donas dos portos graneleiros de Miritituba, a quais tem causado muitos problemas para o comércio de Itaituba.

Na sessão de hoje ele mostrou detalhes das dívidas contraídas e não pagas.

Disse que o problema é muito mais grave do que parecia antes de tomar conhecimento pormenorizado da situação real.

“O Golpe é bem maior do que imaginamos, pois a cada dia que falamos com alguém na cidade, informações dão conta de dívidas deixadas por essas prestadoras de serviços. Empresas todas sujas no SERASA.

ENJESUL INDUSTRIA E MONTAGENS ELETRICAS LTDA CNPJ Nº 05.701.266/0001-85; QUALITI MONTAGENS INDUSTRIAIS LTDA -ME; CNPJ: 21.165.024/000-70; CALDEMONT MONTAGEM INDUSTRIAL E LOCAÇÃO EIRELI-ME; CNPJ: 15.708.247-0001-34; KAJIWARA ENGENHARIA EIRELI. CNPJ: 04.592803/0001-33”

O vereador apresentou detalhes até então não informados em público.
“ Tem empresa que está sendo executada por débitos de mais de R$ 2 milhões, como no caso a KAJIWARA. Já a empresa QUALITI está com debito de R$ 302.000,00. A empresa ENJESUL está devendo mais de R$ 1.800.000,00. Essas empresas já aplicaram golpes em outros estados brasileiros, como no Rio Grande do Sul, Paraná, Mato Grosso, Minas Gerais e São Paulo.

Se não bastasse as despesas contraídas no comercio local, uma enxurrada de reclamações trabalhistas tramita na Justiça do Trabalho em Itaituba contra as empresas CALDEMONT, QUALITI, ENJESUL e a MAIS MONTAGENS. As reclamações contra essas empresas somam mais de 50 funcionários que procuraram seus direitos trabalhistas.

Esta semana estive fazendo um levantamento dos débitos que estas terceirizadas deram no comercio de Itaituba.

A empresa ENJOMAR, ficou devendo em vários restaurantes, padarias, alugueis e hotéis. Como exemplo posso citar no Restaurante do Liberal, onde o debito é de R$ 16.000,00; No Hotel Campos, debito de R$ 16.000,00; na Senhora Jane de Almeida, referente a aluguel: R$ 40.000,00; para o Senhor Gamboa, de embarcação, o debito é de R$ 28.000,00; e na Padaria Pão de Ouro, o debito é de R$ 4.000,00. Para a agencia de passagem da Senhora Ely, a empresa CALDEMONT deve mais de R$ 18.000,00. No Hotel Santa Rita, a empresa Qualiti deve R$ 10.000,00. No Hotel Apiacás a Qualiti ficou devendo mais R$ 50.000,00. Manelão das Peças ficaram devendo de aluguel R$ 22.680,00.

Nem o Churrasquinho da amiga Loura, Dona Maria Angélica Vieira, escapou dos caloteiros. Ali faziam farra de segunda a segunda, almoçando e jantando e deixaram uma dívida de R$ 11.424,00.

Esses são alguns dos débitos que até agora levantei, mas as dívidas são maiores.

O que estou sabendo, é que essas empresas já aplicaram calotes em outros Estados, como a CALDEMONT, que obtive informações que no Maranhão ficou devendo mais de R$ 200.000,00. A ENJESUL deixou débitos em Rio Verde (Goiás), disse o edil.

O esquema parece que é montado com a empresa TECNAL, que tem ficha limpa. Esta empresa é contratada pelos empresários portuários e terceiriza o serviço. Onde estas terceirizadas passaram deixaram um rastro de calote, dividas, afirmou o parlamentar.

Em outras palavras, colegas vereadores, destacou o vereador, podemos dizer que as terceirizadas deram calote no comercio de Itaituba e alguém tem que se responsabilizar. A CARGILL, A HIDROVIAS DO BRASIL, A BUNGE. Essas firmas que trouxeram estes caloteiros para Itaituba. Tem que assumir a responsabilidade, porque deviam estar acompanhando a atuação delas, tanto em suas obras como sua conduta perante a sociedade itaitubense., exclamou Peninha.


Em contato com o Secretário Geral da AMPORT, Marcos Venolli, fui informado que a entidade já tomou conhecimento destes débitos e pediu para que os comerciantes entrem em contato com o com ele e com o CDL para as devidas providencias”, finalizou Peninha.