domingo, abril 30, 2017

Dois problemas que tiram o sono do prefeito

Apesar de viver um bom momento nesse início de governo, com a popularidade em alta junto à opinião pública, o prefeito Valmir Climaco tem dois problemas vem lhe tirando a tranquilidade. O primeiro tem a ver com as finanças do município, pois a prefeitura não chega a arrecadar nem 50% dos impostos a que tem direito de cobrar, e não arrecada porque não conseguiu, até agora, implantar uma gestão eficiente que possa otimizar a arrecadação municipal.
Esse cenário só vai se modificar se a gestão municipal conseguir estruturar a administração tributária do município. Isso exige medidas concretas e efetivas, e esse é o propósito do prefeito ao criar a procuradoria fiscal.
Valmir não esconde a irritação quando fala da inadimplência na arrecadação dos tributos municipais, e o que mais incomoda o prefeito é que entre os maiores devedores do município, estão grandes empresas e conceituados empresários da cidade, segundo apontou um levantamento feito pelo setor de tributos.
Com criação da Procuradoria Fiscal, o prefeito pretende estancar essa sangria de divisas com a prescrição de dívidas.
A outra questão diz respeito à saúde. O prefeito não se conforma com a espera angustiante de pacientes em estado grave que não conseguem vaga no Hospital Regional do Baixo Amazonas, e essa questão não tem como ele resolver; só o governo do Estado, pois depende da inauguração Hospital Regional do Tapajós.
Como a construção dessa obra continua parada, pacientes vão continuar morrendo a espera de uma vaga no hospital regional do baixo amazonas, e a pergunta que se faz é: até quando vamos suportar essa situação de abandono imposta pelo governo do estado a essa região?
Jornalista Weliton Lima

Comentário do Focalizando, quinta, 27/04