segunda-feira, março 06, 2017

Reunião às cinco da tarde de hoje, na Câmara Municipal para esclarecer sobre MPs que prejudicam a economia da região

Sábado passado, no programa O ASSUNTO É ESSE, na Alternativa FM, falou-se bastante a respeito da asfixia que as medida provisórias 756, 758 e 759 estão provocando na economia de Itaituba e da região sudoeste do Pará, de um modo geral.

O advogado José Antunes, profundo conhecer da legislação ambiental, vice-presidente da AMOT, e o presidente da entidade, comandante Léo Rezende, estiveram no estúdio falando sobre o assunto e convidando para a reunião que vai acontecer às cinco horas da tarde de hoje, no plenário da Câmara Municipal de Itaituba.

A iniciativa da reunião foi tomada pelo Consórcio Tapajós.

Não será uma audiência pública, que muitas vezes tem falas em excesso e resultados práticos pífios, tipo aquelas em que muita gente fala, inclusive coisas desconexas, que terminam atrapalhando o propósito do encontro.

Hoje, acontecerá uma reunião de esclarecimento técnico das consequências que essas MPs já estão tendo sobre a economia local e regional, posto que elas afetam toda uma cadeia produtiva que está sendo enormemente engessada por conta disso.

Além das explicações, também serão tratados detalhes de uma grande mobilização que será feita, caso os políticos de Brasília, do Congresso Nacional não se sensibilizem com os argumentos que serão apresentados pela bancada do Pará, para que sejam apresentadas emendas que modifiquem as medidas provisórias, no sentido de que não se impeça o trabalho legal da extração de ouro.

Quanto mais gente tomar conhecimento da gravidade do que está acontecendo, maior será a força para que os objetivos sejam alcançados.