sábado, março 18, 2017

Família foi feita refém na manhã de hoje, em Itaituba

Bandidos assaltantes
Pau e filho, que com o restante da
família viveram momentos de terror
Pelo menos uma hora de pânico. Foi assim que o empresário Antônio Adail Prado definiu os momentos que passou junto com a família em companhia dos bandidos. Ele diz que logo no início da manhã, havia chegado em casa quando os bandidos entraram logo em seguida.

Cinco pessoas estavam em casa, incluindo um filho menor e um neto do empresário. Mas o membro da família que sofreu maior pressão foi o filho mais velho. Os bandidos usaram uma pistola 380 para intimidar o rapaz.

Os bandidos exigiam dinheiro, ouro e joias. Por sorte, uma filha conseguiu se esconder e fazer uma ligação via celular, acionando a polícia, que chegou logo em seguida. A família chegou a ser tomada refém.

Apreendido com os bandidos
Foi necessário negociar com os bandidos, que foram convencidos a se entregar e liberar os reféns. Segundo o sargento Albertino Soares, que comandou uma das guarnições, a polícia ainda fez diligências, na tentativa de localizar possíveis colaboradores dos bandidos.

Um detalhe que chamou a atenção da 
polícia foi que, ao notar a chegada das guarnições ao local do assalto, um dos bandidos, identificado como Luciano Sousa Parente, de 25 anos, quebrou o próprio celular e escondeu o chip. Ele disse, na delegacia, que a intenção era proteger todos os seus contatos. Luciano foi apontado como quem comandou o assalto. Junto com ele, outras três pessoas foram apresentadas.

A casa onde tudo aconteceu
Francinaldo Ramos dos Santos, de 24 anos, o comparsa; Fernanda Luzinete Nunes Rocha, de 28, apontada com a pessoa que forneceu a moto para a dupla e um primo de Luciano, um adolescente de 14 anos. Na delegacia, o chefe do bando assumiu toda a culpa. Ele disse que estava monitorando a família e desconfiava que houvesse dinheiro na casa porque viu um filho do empresário saindo de uma compra de ouro. Os quatro acusados foram apresentados e foram ouvidos em depoimento pela Polícia Civil.

Segundo o delegado Conrado Wolfring, que preside o inquérito, Luciano e Francinaldo foram autuados em flagrante por assalto e também poderão responder por cárcere privado. A mulher, Luzinete Nunes, atua como coautora e o menor será submetido a procedimento especial conforme estabelece o Estatuto da Criança e do Adolescente.

Para o empresário, ficou o alívio de todos na família terem saído dessa situação sem nenhum dano físico, apenas abalo psicológico.

Fonte: Mauro Torres
Fotos: blog do Júnior Ribeiro