sábado, março 04, 2017

Doleiro suspeito de ligação com Cabral vivia à beira-mar em balneário de luxo no Uruguai

O Jornal acompanhou a rotina, antes da sexta-feira, (3), do doleiro Vinícius Claret, o "Juca Bala", suspeito de envolvimento com operações de lavagem de dinheiro para o grupo chefiado pelo ex-governador do Rio Sérgio Cabral, segundo o Ministério Público Federal.

A reportagem, de Carlos de Lannoy e Arthur Guimarães, mostrou que Vinícius aparece como sócio no contrato de criação da Paddle Boards Uruguay, uma empresa que faz importação, exportação, representação e venda de material esportivo em Punta Del Este, no Uruguai, um dos balneários mais luxuosos na América Latina.

O Jornal Nacional chegou a falar com "Juca Bala", que afirmou que a empresa traria pranchas de stand up paddle para o Uruguai, já que elas não seriam fabricadas no país. A equipe de reportagem acompanhou a rotina do doleiro e constatou que, todo dia, ao sair, ele ia para um condomínio em uma das áreas mais privilegiadas de Punta, com apartamentos de frente para o mar.

A reportagem também mostrou o papel que, para os investigadores, Vinícius cumpria para a organização que, segundo para o MPF, era chefiada por Cabral. O rosto de Vinícius foi reconhecido pelos irmãos Renato e Marcelo Chebar, doleiros que fizeram acordo com a força-tarefa da Operação Lava Jato e apontaram o destino de fortunas desviadas no esquema.

Em depoimento, Renato contou que recebia mensalmente de Cabral valores que variavam de R$ 50 mil a R$ 250 mil. Com o aumento no volume de recursos, Chebar precisou comprar dólares no mercado paralelo, porque as operações no Banco de Nova York já não eram suficientes. Ele recorreu, então, ao mercado paralelo, a um doleiro conhecido como "Juca Bala".

Desde a delação dos irmãos Chebar, as autoridades brasileiras sabiam apenas que o principal doleiro do ex-governador Sérgio Cabral atendia pelo apelido de Juca Bala, morava no Uruguai e se chamava Vinicius. Seguindo essas pistas, a reportagem foi até o balneário uruguaio de Punta del Este e descobriu o paradeiro de "Juca Bala".Além de Claret, o “Juca Bala”, foi preso ontem, Cláudio Fernando Barbosa, que seria sócio de Vinícius. (G1)