domingo, março 26, 2017

Ausência de políticos na manifestação contra a violência mostra a falta de lideranças verdadeiras

Resultado de imagem para fotos de silhuetas de políticos
O povo quer saber onde andavam os
seus representantes na hora da manifestação
Algumas ausências na manifestação pública contra a violência, ocorrida sexta-feira passada, foram muito sentidas e para as quais dificilmente haverá justificavas convincentes.

A da classe política de Itaituba, certamente, foi a mais sentida de todas.

Não se viu um só integrante do governo municipal no movimento.

Patrick Sousa, como ele mesmo fez questão afirmar durante o programa O Assunto é Este, de ontem, na Alternativa FM, esteve lá como presidente da CDL, não como membro da equipe do prefeito Valmir Climaco.

O vice-prefeito Nicodemos Aguiar, que esteve pela manhã, no mesmo dia, na manifestação em frente à obra do hospital regional do Tapajós, inexplicavelmente também não apareceu.

O prefeito Valmir Climaco estava viajando, mas, deveria ter deixado alguém para marcar presença pelo Executivo.

Aliás, Valmir tem sido cobrado nas redes sociais por causa de seu silêncio sobre esse problema, que o que mais assusta os itaitubenses no momento.

E a Câmara Municipal?

Somente a vereadora Antônia Borroló participou da manifestação. Os demais não deram as caras.

Isso só faz piorar a já tão desgastada imagem da classe política, passando para a população que os políticos estão em outra festa, pouco se lixando para o que está acontecendo com os seus representados.

Sábado (25/03), no programa O Assunto É Este, tanto a presidente da subseção da OAB Itaituba, a advogada Cristina Bueno, quanto o presidente da CDL, Patrick Sousa, criticaram a ausência da classe política, com muita firmeza, citando a falta de manifestação do Poder Executivo, a ausência de quase todos os vereadores e a falta de um empenho mais forte dos deputados estaduais Hilton Aguiar e Eraldo Pimenta.

As explicações devem começar a aparecer a partir de amanhã, segunda-feira, mas, é pouco provável que os senhores detentores de mandados em todos os níveis, consigam convencer os eleitores de suas razões por estarem ausentes em um momento crucial da vida da comunidade que os elegeu para representar.

Diante da dura realidade presente, principalmente em momentos de grande clamor popular, como e o caso da violência em Itaituba, nos dia de hoje, é que os verdadeiros líderes aparecem e se destacam.

Parece que estamos em período de falta de verdadeiras lideranças.


Jota Parente