segunda-feira, março 27, 2017

Até cheiro-verde está vindo de fora

Resultado de imagem para fotos de hortaliçasA culpa é atribuída ao inverno pesado que tem castigado a região Norte, e no caso presente, o município de Itaituba.

Será, mesmo, culpa de inverno, ou porque os produtores locais não tem condições de produzir as hortaliças da produção do município que abastece os supermercados?

Hoje, por exemplo no começo da noite, a reportagem do blog visitou um dos supermercados da cidade, quando verificou que não havia o conhecido cheiro-verde.

Um dos donos do estabelecimento, Joelson Castro dos Santos (Itafrigo) passou a informação acima mencionada do efeito do inverno forte.

Todavia, amanhã de manhã vai chegar um carregamento de cheiro-verde, procedente de Santarém, para sanar o problema da falta.

E aí, vem a pergunta: se em Santarém, que é tão perto de Itaituba, onde deve estar chovendo tanto quanto aqui, dá para produzir com muita chuva, porque para estes lados não dá?

É porque lá tem a infraestrutura necessária.

Repolho: Falta know how 


Resultado de imagem para fotos de repolho
O mesmo dono de supermercado com o qual a reportagem conversou, disse que recentemente pensou em produzir repolho, que é uma hortaliça muito consumida em Itaituba.

Para fazer tudo como manda o figurino, procurou a Emater, que informou não ter como ajudar, por falta de algum técnico com conhecimento desse tipo de cultivo. Continuou sua busca por outros órgãos, mas, não teve êxito.

Por enquanto a ideia está hibernando, à espera que uma hora dessas apareça alguém que possa ajudar no apoio técnico.

Uma caixa de repolho custa para quem compra o produto em Curitiba, R$ 7,00.

Chega a Itaituba a R$ 27,00, porque as transportadoras cobram por volume, uma vez que o repolho é leve, e ocupa bastante espaço.

Enquanto isso, o dinheiro de cinco carretas de hortaliças continua saindo mensalmente de Itaituba, sem que um só centavo volte para o município.

Que tal a secretaria municipal de Agricultura começar a estudar essa questão? 

Que tal o prefeito Valmir Climaco incluir entre as prioridades de seu governo a produção de hortaliças, o que gerará ocupação e renda?

Para que isso aconteça, é preciso planejamento. Planejamento e autonomia para que a SEMAGRA toque um projeto exequível. 

Não basta falar: vamos fazer! 

Não é assim que funciona.