terça-feira, fevereiro 14, 2017

Peninha diz que pacote de maldades é mentira

O vereador Peninha, PMDB, ao discursar da tribuna da Câmara, falou sobre uma informação que está circulando nas redes sociais, principalmente pelo Whatsaap.

Trata-se de um texto sobre um projeto de lei que o prefeito Valmir Clímaco estaria preparando para mandar para a Casa de Leis.

De acordo com o boato, um pacote de maldades mudaria algumas leis municipais que prejudicariam enormemente servidores municipais efetivos, retirando deles conquistas que foram obtidas, algumas delas, com muita luta.

Peninha disse que isso é coisa de pessoas para as quais a campanha eleitoral ainda não acabou.

Afirmou o edil, que isso nunca passou pela cabeça do prefeito.

O boato teve grande repercussão, fazendo com que servidores públicos municipais ficassem muito preocupados.

Um servidor que esteve na Câmara, hoje, perguntou para a reportagem do blog, se o tal pacote de maldades já teria sido entregue na Casa de Leis.

Foi informado que o vereador que é apontado como líder do governo, havia afirmado que a notícia não tem veracidade alguma.

A seguir, o blog publica a nota que está circulando nas redes sociais, as quais tem alguns absurdos, que não condizem com a realidade, como por exemplo, os sindicatos que representam os (SINTEPP, SINDSAÚDE e SIMSERMI) servidores aceitarem pacificamente essas verdadeiras aberrações.
-------------------------------------
PREFEITO VALMIR CLIMACO ENVIARÁ PARA CÂMARA O PACOTE DE MALDADES 

Diferente dos demais  prefeitos paraenses e até mesmos dos seus vizinhos como os prefeitos de Aveiro e Placas que agiram sorrateiramente e suspenderam todos os direitos e vantagens dos trabalhadores dos seus municípios, o  prefeito Valmir Climaco enviará para a Câmara de vereadores um pacote de projetos de leis que terá como objetivo promover o enxugamento das despesas públicas no município, inclusive com pagamento de pessoal.

Dentre as medidas pretendidas está a DEMISSÃO VOLTARIA para o servidor que por ventura não concorde com as demais medidas austeras, e segue como o não rejuvenescimento de salários por um período mínimo de 10 anos e máximo de 20 anos;

anulação  das progressões Horizontal e Vertical que foram efetivadas desde 2008; cação do Instituto Próprio de Previdência  (IPMI) com contribuição funcional superior a que é cobrada hoje pelo ISSN; revogação do PCCR integrado dos Trabalhadores da Educação e criação do Estatuto do magistério; anulação dos Atos de Enquadramento dos servidores operacionais e de apoio da Educação que a partir da aprovação do pretendida lei retornaram para o quadro de funcionários da Administração Direta,  dentre outras medidas.


O Prefeito Valmir Climaco prever que não terá dificuldades para aprovar as medidas de contenção de despesas, pois já alinhavou conversas com todos os sindicatos e a Câmara de Vereadores e todos manifestaram apoio às medidas com firma de garantir os empregos, mas caso aja resistência de algum organismo, o prefeito diz que aplicará a lei e demitira concursados conforme autorização do Diploma legal disposto na Constituição Federal do Brasil.