sábado, fevereiro 25, 2017

Atoleiro na BR-163 deixa mais de 4 mil caminhoneiros parados na rodovia

Caminhões estão há mais de uma semana em congestionamento de 50 km. Fortes chuvas deixaram trecho da rodovia intrafegável no sudoeste do Pará.


Foto: Arlyson Souza (TV Tapajoara)
G1 - Mais de 4 mil caminhoneiros estão parados há mais de uma semana na rodovia BR-163, no sudoeste do Pará, e sofrem os prejuízos provocados pela situação. Fortes chuvas resultaram em um grande atoleiro no trecho da rodovia entre os municípios de Trairão e Novo Progresso, que provoca um congestionamento de 50 quilômetros e impede a passagem de veículos no local.

A situação afeta mais de 4 mil caminhoneiros na rodovia, a maioria transportando soja do Mato Grosso para o porto de Miritituba, em Itaituba, no sudoeste do Pará. Homens do exército e da Polícia Rodoviária Federal passaram a prestar apoio a partir deste sábado (25) às ações do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit) na área para liberar a pista.

Um plano para enviar mantimentos para os caminheiros foi definido em uma reunião realizada na sexta-feira (24) no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, em Brasília. O envio de mantimentos começa na próxima quarta-feira (1º). Segundo a Defesa Civil do Estado, uma equipe do Corpo de Bombeiros de Itaituba já foi deslocada para a área para ajudar as comunidades e acompanhar a situação.
 
A Prefeitura de Trairão decretou situação de emergência. De acordo com o decreto, o trecho que não é asfaltado da BR-163, a rodovia Cuiabá-Santarém, está intrafegável e deixa pelo menos cinco comunidades sem ter acesso à sede do município, o que já está provocando desabastecimento de alimentação, combustível e água. Alunos estão sem transporte escolar.