terça-feira, janeiro 10, 2017

R$ 41 milhões é o débito da prefeitura de Itaituba, juntando INSS e Celpa

Hoje o prefeito Valmir Climaco concedeu entrevista coletiva à imprensa de Itaituba, na qual falou de diversos assuntos atinentes a esse começo de governo.

A primeira pergunta que puxou algumas outras foi a respeito do débito deixado pela gestão da ex-prefeita Eliene Nunes, concernente ao não recolhimento junto ao INSS, de descontos feitos na folha de pagamento.

O escritório do advogado Osmando Figueiredo, de Santarém, fez um levantamento do montante e a razão do débito.

O problema originou-se pelo fato de a prefeitura, a partir de janeiro de 2014, até novembro de 2016, ter recolhido uma parte, como se a folha de pagamento fosse menor do que realmente era, deixando de declarar e recolher outra parte, conforme mostrar o comprovante entregue pelo prefeito Valmir Climaco para a imprensa durante a entrevista de hoje.

Essa manobra já está causando muita dor de cabeça para o prefeito recém-eleito e custará caro para o município.

Sexta-feira da semana passada, quando este blog publicou a informação sobre esse débito, com exclusividade, ainda não tinha à disposição esse relatório completo, mas, um relatório parcial. Por isso foi informado o montante de mais de R$ 33 milhões, quando na realidade passa dos R$ 38 milhões.

Somando-se esse débito da previdência com a dívida que a gestão de Eliene deixou junto à Celpa, o total chega a R$ 41 milhões.

É um começo muito difícil para o gestor que ainda nem esquentou a cadeira, sem que se saiba, ao menos por enquanto, quais serão os desdobramentos e as consequências disso para o município.


  
Débito junto à Celpa