terça-feira, janeiro 03, 2017

Família do Norte, responsável pelo massacre do presídio de Manaus, patrocina time de futebol

Em 2009 a equipe Manaus Compensão, conhecido apenas como Compensão, sagrou-se campeão da segunda divisão do campeonato amazonense de futebol após bater o ASA da Amazônia. Foi a maior conquista deste time cujo nome homenageia o bairro manauara de Compensa, e que nos anos anteriores havia disputado o Peladão, campeonato amador da capital, no qual sagrou-se campeão em 2006 e 2008.

Um dos cartolas do clube, no entanto, se tornou famoso fora das páginas esportivas. É José Roberto Fernandes Barbosa, traficante conhecido dentro do sistema carcerário como Messi, um dos fundadores da facção criminosa amazonense Família do Norte (FDN). O grupo se dedica ao tráfico internacional de drogas, e conta com cerca de 200.000 membros no país. Inimiga declarada do paulista Primeiro Comando da Capital, a Família se aliou à organização fluminense Comando Vermelho.

Um uniforme especial do Manaus Compensão chegou a ser criado para prestigiar Potência Máxima, apelido de João Pinto Carioca, outra liderança da Família do Norte. Em uma mensagem interceptada pela Polícia Federal, Barbosa chega a afirmar que “Compensão é o time que representa o crime no Amazonas, representa a FDN e todos os presídios do Estado”. No final da conversa com Eduardo Queiroz de Araújo, vulgo Foguinho, pistoleiro da facção, Barbosa conclui dizendo: “E representa bonito”. 

De acordo com a Polícia Federal, a facção, criada por Barbosa e Gélson Lima Carnaúba, vulgo Mano G, tem o domínio de praticamente todo o sistema prisional doAmazonas, e expandiu sua influência nos últimos anos para outros Estados do Norte, como Rondônia, Roraima e Acre.

Atualmente a Família do Norte controla um dos mais importantes corredores de tráfico de drogas do país, chamada de Rota Solimões, percurso entre Tabatinga (AM), na região da tríplice fronteira entre Brasil, Colômbia e Peru, até a capital Manaus. Além de ter o monopólio da distribuição de droga no Estado, a facção também atua enviando remessas de cocaína para a Europa, principalmente para Portugal. (El País)