quarta-feira, dezembro 21, 2016

Samuel Irmes, do Apiacás Hotel, um chef internacional que se radicou em Itaituba

            O Hotel Apiacás trouxe, acerca de dois anos para Itaituba, o renomado e experiente chef Samuel Irmes (foto), que atualmente responde pela gerência de alimentos e bebidas do hotel. Ele trabalha nessa atividade há mais de quarenta e cinco anos, vinte e cinco dos quais ele dedicou aos cruzeiros marítimos, o que lhe fez conhecer mais de cinquenta países.
            Em Itaituba, o chef Samuel trabalha, exclusivamente, com mão obra local, como ele faz questão de ressaltar, sendo que ele mesmo lidera o treinamento da equipe. E uma das grandes dificuldades que ele sentiu quando chegou aqui, foi exatamente no que tange à mão de obra especializada, problema que vem sendo superado.
            “O Dr. Carlos Porciúncula (proprietário do hotel) já havia me convidado algumas vezes, há mais ou menos dez anos, para vir para cá. Ocorre que eu tinha contrato com outra empresa, em Belém, a Companhia Paulista de Pizza. Mas, chegou um momento que foi possível aceitar o convite. E confesso que quando cheguei aqui, o primeiro contato foi um tanto impactante, por conta de que o município ainda não disponibiliza uma mão de obra especializada. Mas, nós conseguimos resolver aqui mesmo, sem contratar ninguém de fora, fazendo vários cursos e treinamentos e hoje temos uma equipe maravilhosa”, disse Samuel.
            A resposta tem sido bastante positiva, pois o setor gastronômico do hotel tem se constituído em uma atração à parte. A clientela do Restaurante Umarama vem crescendo dia após dia. Em breve, afirma o chef Samuel, o Hotel Apiacás vai disponibilizar um novo espaço, onde vai funcionar uma hamburgueria, uma cafeteria e uma choperia. Concomitantemente, o hotel vai aprimorar o serviço de delivery.
            Diferenciais – O chef Samuel Irmes destaca alguns pontos que são diferenciais na gastronomia local, atualmente. É o caso do sushi, que é preparado com salmão fresco, vindo de Belém.
            “O nosso salmão vem fresco de Belém. Não é aquele sushi no qual congela-se e depois descongela-se. Isso dá uma diferença grande no sabor. Pessoas de fora, de São Paulo e de outras cidades, quando comem o nosso sushi, elogiam. Também tem merecido muitos elogios o nosso café da manhã. Eu aproveito para convidar o povo de Itaituba para vir tomar o nosso café da manhã, que custa apenas R$ 18,00. E tem ainda o nosso buffet, todos os dias, de 11:30 até às 15:00. Aos sábados nós temos a feijoada especial, mas, o melhor de tudo é o buffet de domingo, onde temos caranguejo, camarão, leitãozinho à pururuca, carneiro, pirarucu, e diversas outras opções deliciosas. E eu estou sempre à frente de tudo isso”, disse Samuel.
            Conhecendo um pouco da vida do grande chef Samuel Irmes – Samuel nasceu em Budapeste, capital da Hungria, localizada na parte central da Europa. Em 1966, sua família, de origem judaica,  refugiou-se Brasil, fugindo das agruras da dominação soviética, na região conhecida na época como Cortina de Ferro. Seu pai, químico, conseguiu um emprego no Rio de Janeiro, onde a família fixou-se. A primeira barreira foi da língua, e para vencê-la, dedicou-se ao estudo da língua portuguesa.
            Seu pai tinha um amigo no Copacabana Palace Hotel, onde conseguiu um lugar para Samuel. E foi lá que ele aprendeu os segredos da culinária. Não demorou muito tempo, empregou-se na Companhia Marítima, tendo passado boa parte da vida trabalhando embarcado, em cruzeiros marítimos, nos quais comandava equipes que passavam de cem pessoas de diferentes nacionalidades. Tudo era preparado a bordo. E para exercer plenamente a profissão, em alto mar, teve que se formar como nutricionista industrial.
“Eram seis meses embarcado e seis meses em terra. Eu comecei fazendo Buenos Aires – Montevideo, Montevideo – Santos, Santos – Rio de Janeiro, Rio de Janeiro – Recife, Recife – Johanesburgo, Johanesburgo – Barcelona, Barcelona – Porto, Porto – Gênova e Gênova -  Ilhas Gregas.
Alguns anos mais tarde, o comandante com o qual trabalhava foi para os Estados Unidos, e me convidou para continuar trabalhando com ele . De Miami a gente partia com destino a Hong Kong, parando nas Bahamas, seguindo de lá para Honolulu (capital do Havaí), de onde seguíamos para Tóquio e de lá para Hong Kong, onde a gente seguia para casa, descansava para começar tudo de novo. Foram quinze anos na Companhia Marítima Italiana, cinco anos nos Estados Unidos e cinco anos na Inglaterra, viajando no Queen Elizabeth I. Depois, fiquei velho e não deu mais para trabalhar embarcado. Mas, sento falta do balanço do mar, até hoje”, afirma Samuel.

Por que Belém? – “O proprietário da Companhia Paulista de Pizzas viajou em um dos cruzeiros em que eu estava trabalhando. Ele deu-me um cartão seu e me disse que poderia trabalhar em sua empresa quando desejasse. E embora eu tenha apartamento no Rio de Janeiro, algum tempo depois que eu parei de viajar, procurei-o em Belém. Trabalhamos juntos por quatorze anos. De lá vim para cá e aqui estou muito feliz com esta casa, onde fiz muito amigos. Estou aqui há dois anos e pretendo ficar pelo menos mais uns cinco.
Chef Samuel Irmes e sua equipe do restaurante
                Delícias do buffet de domingo no Restaurante Umarama














Aximã Sushi Bar, uma maravilha de sabor, com salmão fresco



Equipe do Aximã Sushi Bar