sexta-feira, dezembro 23, 2016

Delegado Rilmar Firmino: “Corrupção na SEFA é histórica”

 Considerada uma das maiores operações realizada no estado do Pará para combater corrupção no fisco estadual, a chamada “Operação Quinta Parte”, desarticulou um esquema criminoso que envolvia servidores públicos da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa), contadores e empresários, no sul do Pará. Ao menos 48 pessoas foram presas, destes, 33 são servidores públicos.
Nesta semana, nossa equipe de reportagem conversou com um dos principais responsáveis pelo desmanche do esquema de corrupção, o Delegado Geral de Polícia Civil do Estado do Pará, Dr. Rilmar Firmino (foto), que esteve em Santarém acompanhando comitiva do governo estadual, que veio realizar a inauguração de três Unidades Integradas Pro Paz na região oeste do Pará.
De acordo com a autoridade policial, o que mais chamou atenção das forças de segurança, foi o nível de organização que o esquema operava.
“O trabalho de investigação na SEFA durou seis meses, inicialmente no sul do Pará, e no decorrer das investigações, nós chegamos a outras regiões.
A operação foi deflagrada no mês passado, e cumprimos as medidas cautelares determinadas pela Justiça. A partir daí nós concluímos o inquérito policial, que foi encaminhado para a Justiça. No decorrer das investigações conseguimos muitas informações novas, que ensejaram novos procedimentos, e em 2017 os trabalhos terão prosseguimento, em situações que por si só são objetos de novas investigações.
Na verdade, o que mais chamou atenção da Polícia, foi a questão do nível de organização do grupo criminoso. A atuação dos integrantes era complexa, principalmente nas zonas próximas às fronteiras com outros estados, como no caso de Conceição do Araguaia, Redenção e Xinguara.
Também chamou-nos atenção o fator tempo. Essa prática ilícita por parte dos servidores da SEFA não é recente. Até porque nós tivemos servidores que constituíram um patrimônio lá na região, totalmente incompatível com o que ganha um servidor público da SEFA. Então, isso aí não foi de uma hora para outra, o que chamou atenção foi o fato do esquema que estava enraizado, ser uma corrupção histórica. Mas foi muito importante a ação do Estado. Tenho certeza que com essa ação, nós chegaremos a um patamar de acordo com que a sociedade exige”, informou Rilmar Firmino.
            Segundo o Delegado Geral, com a realização da “Operação Quinta Parte”, novos dados foram obtidos, e com essas informações adicionais, outras investigações estão em andamento, o que poderá resultar em novas prisões.

            Fonte: O Impacto