domingo, outubro 02, 2016

Seguindo tendência nacional, Expoagro de Itaituba enxuga custos para se adequar aos novos tempos

           De 8 e 16 de outubro será realizada a 27ª Expoagroindustrial, no Parque de Exposições Hélio Mota Gueiros. Com algumas mudanças tendo por objetivo adequar o evento ao momento difícil da economia do país, está sendo feito um esforço enorme para fazer com que o evento deste ano seja superavitário, diferente do que aconteceu em 2014 e 215, nos quais as despesas superaram a receita obtida nas nove noites de movimento.
            A venda de cartelas, na feira do ano passado, não alcançou o número estimado, que era de 12 mil, segundo informou Antônia Gurgel (foto), presidente do SIPRI. Só foram vendidas cerca de 8 mil cartelas. Juntaram-se a isso outros fatores que contribuíram para que o resultado projetado não fosse alcançado. Dentre os problemas, para citar apenas dois que foram fundamentais para o resultado financeiro negativo, houve o cancelamento do voo da Azul, no qual viria a dupla sertaneja contratada, o que forçou o SIPRI a ter que fretar avião para trazer os dois de Manaus para Itaituba; além disso, choveu muito na reta final da feira, o que dificultou a chegada de produtores.
            Para a 27ª Expoagro não foi contratada nenhuma empresa responsável pela produção de rodeios. É importante contratar, mas, esse é um investimento alto que onera bastante a feira. Quem gosta de rodeio não vai ficar sem a atração, pois alguns dos melhores peões do Brasil foram contratados diretamente pela diretoria do SIPRI. Somente essa economia ficou na ordem de R$ 150 mil.
            A premiação será de 1 kg de ouro, divididos em 100 gramas de sábado, 8 de outubro a sábado, 15 de outubro, e 200 gramas no domingo, 16, dia de encerramento da programação. Como medida de precaução, informou Antônia Gurgel, os ganhadores receberão uma cautela comprovando que ganharam, mas, só receberão o ouro no dia seguinte em uma DTVM local, a Ouro Minas. Essa medida foi tomada para evitar a exposição à violência, de quem ganhar, pois levar o prêmio para casa, altas horas da noite, ou da madrugada, seria muito perigoso.
            Quanto às atrações artísticas, todas já estão confirmadas. Mateus e Kaua,n abrirão a temporada de shows da feira, sábado, 8/10. Terça-feira, 11, será a vez da banda católica, Filhos da Luz. Joaninha, com seu imperdível show de manobras em motocicleta, será a grande atração de quarta, 12. A música eletrônica estará em alta no sábado, 15, com Zoom Box, e fechando a rodada de shows, Israel Novaes apresentar-se-á no encerramento da 27ª Expoagro, dia 16 de outubro.
            Antônia Gurgel disse ao Jornal do Comércio, que a tendência dessas exposições em nível nacional é o enxugamento do tamanho do evento, o que já vem ocorrendo em diversos lugares. Ela citou como exemplo, o caso do próspero município de Lucas do Rio Verde, em Mato Grosso, que já diminuiu o tamanho de sua feira agropecuária. Hoje, o evento tem cerca de um terço da dimensão que tinha anteriormente. Era desejo da presidente ter uma feira bem mais enxuta já a partir deste ano, cortando investimentos bem acima do que está sendo feito, mas, o restante da diretoria achou por bem manter do tamanho que está. Ela acredita que essa é uma tendência irreversível, e que Itaituba também terá que se adequar à essa realidade. Se tivesse prevalecida a proposta da presidente do SIPRI, a partir deste ano a feira teria somente 5 dias de duração.
            As coisas mudaram, de modo especial em tempos de crise como agora, e não existe milagres nesse campo. Como exemplo disso, está a total ausência de patrocínio governamental para, tanto do governo do Estado, quanto do governo do município. Sem esse tipo de apoio, realizar a Exposição Feira Agropecuária de Itaituba ficou muito mais difícil, muito mais pesado, não restando alternativa que não seja racionalizar os investimentos e o tamanho do evento que já ultrapassou um quarto de século em Itaituba.