sexta-feira, outubro 07, 2016

Há oito anos, partíamos rumo ao desconhecido

Parece que foi ontem, como o tempo passa rápido, e tantos outros ditados parecidos que eu poderia usar aqui para lembrar dos 8 anos da nossa aventura, minha e do meu dileto amigo Jadir Fank.

O dia 7 de outubro de 2008 foi o dia de nossa partida de Itaituba rumo ao desconhecido, por todos os países da América do Sul.

Saímos daqui no barco Joana D’Arc.

Quase não conseguimos viajar, de tão lotado que estava.

Em Santarém mudamos as motos e fomos no Navio São Bartolomeu, do amigo Rosinaldo, que nos dispensou tratamento VIP até Manaus.

Lá subimos em nossas motos, e após o pernoite na casa onde morava meu filho Ingo e mais alguns jovens que tentavam vencer na capital amazonense, encaramos a BR 174, rumo a Boa Vista. De lá, para o restante da jornada.

Foram mais de 21 mil quilômetros de estrada, história que já foi contada, integralmente no Jornal do Comércio, e boa parte no meu blog. Mas, passado tanto tempo, ainda estou em débito, e prometo que colocarei tudo na net para que todos possam ler.

Para este ano de 2016, chegamos a conversar, eu e o empresário Edson Teixeira, que é maluco como nós.

Nosso propósito era ir até a cidade de Ushuaia, no extremo sul da Argentina, a cidade mais meridional do mundo, chamada a Cidade do Fim do Mundo, já para as bandas da Antártida.

Não por alguns senões, mas, a viagem não foi desfeita. Se tudo der certo, vamos levar o nome de Itaituba até lá, ano que vem.


Como é bom lembrar desses momentos, não é meu amigo Jadir, que desde já está convidado para a jornada do ano que vem.

Cada minutos dessa aventura valeu, e como valeu.

Saindo do hotel em Rio Negro, Colômbia

Em Medelin, com uma agente de Trânsito


18 de outubro de 2008, início de mais uma jornada, numa
cidade costeira da Venezuela, Morón. Nessa data eu
comemorei com meu amigo Jadir, os meus 58 anos de
idade. Foi num jantar de viagem, em um pequeno
hotel na fronteira da Venezuela com a Colômbia. Foi em
Paraguachón, já em solo colombiano e os funcionários
do hotel deram uma força e se juntaram a nós.
Chegando de volta ao Brasil


Há quase 5 mil metros de altitude, na estrada, em Abra
Apacheta, Cordilheira dos Andes, Peru