quarta-feira, agosto 17, 2016

Presidente do COI critica torcida brasileira: 'Inaceitável'

 (Foto: Adrian Dennis / AFP Photo)
Agência Brasil - Após vaias ao rival do brasileiro Thiago Braz durante a prova do salto com vara e na cerimônia de premiação, Thomas Bach diz que comportamento nas arquibancadas foi chocante e não está de acordo com espírito olímpico.
O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, criticou nesta terça-feira (16) as vaias da torcida brasileira ao francês Renaud Lavillenie, que perdeu a medalha de ouro do salto com vara para o brasileiro Thiago Braz.
O francês foi vaiado durante a competição e também no dia seguinte, na cerimônia de entrega das medalhas, enquanto Thiago era festejado como um herói olímpico do Brasil. Lavillenie chegou a chorar durante a cerimônia. "Não desejo isso a ninguém", disse.
Após perder a prova do salto com vara para Thiago na segunda-feira, Lavillenie criticou as vaias recebidas pelos torcedores e comparou sua situação à do atleta americano Jesse Owens na Olimpíada de 1936 em Berlim, durante o regime nazista. Mais tarde, ele se desculpou pela declaração.
Bach se disse estarrecido com as vaias durante a cerimônia de premiação. "Comportamento chocante do público vaiar Renaud Lavillenie no pódio. Inaceitável para os Jogos Olímpicos", afirmou, no Twitter.
Enquanto o público vaiava, Thiago tentava pedir calma aos torcedores e aplaudiu a entrega da medalha de prata a Lavillenie. "Conversei com ele um pouco depois do pódio. Pedi que as pessoas o aplaudissem porque, querendo ou não, ele é um espelho para mim. Se ele não tivesse feito 5,89 metros eu não teria passado para 6,03 metros", disse o brasileiro.
Ao receber a medalha de prata, o francês não conseguiu conter as lágrimas "Segurei até o momento em que não podia mais", disse. Pouco depois, ele seria consolado pelo brasileiro e pela lenda do salto com vara, Sergei Bubka, que atualmente é membro do COI.
O comportamento da torcida brasileira é tema de debate desde o início dos Jogos, foi abordado pelos principais meios de comunicação estrangeiros e vem dividindo competidores. Enquanto alguns atletas elogiaram a atmosfera em arenas e estádios, outros, de esportes que dependem mais da concentração, se mostraram incomodados.