quinta-feira, agosto 18, 2016

Pacientes do Hospital Regional de Santarém realizam sessões de hemodiálise ao som de música instrumental

Foto: Jota Parente
Os pacientes que realizam hemodiálise no Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA) tiveram um dia especial nesta terça-feira, 16/8. As sessões foram realizadas ao som de músicas instrumentais, com participação do saxofonista Júnior Castro e do quarteto Canto Uirapuru. A ação de humanização vai se repetir, com a intenção de proporcionar momentos diferentes aos usuários, com música de qualidade, para que possam relaxar e encarar de maneira positivo o tratamento.

A acompanhante Lucidéia Pinto, de 28 anos, ficou encantada com o que ouviu. “É um tratamento difícil, porque além de mexer com o corpo, mexe muito com o psicológico da pessoa. Então, ter um entretenimento diferenciado é muito bom. Às vezes a pessoa sai da rotina, vem de casa com alguma dor e quando chega aqui é surpreendida com esse tipo de coisa. É muito gratificante para nós acompanhantes”, conta.

Um conjunto harmonioso de sons tem um poder único, com muita receptividade e forte influência nas pessoas. “Estudos mostram o poder da música na questão emocional e psíquica e é muito importante que o hospital proporcione esse momento de relaxamento, de alegria e reflexão. A saúde se dá não só com remédios, e eu acredito que a música cura”, explica a psicóloga Eloísa Barros, que faz parte do Comitê de Humanização do HRBA.

A música tem grande destaque na área da saúde, com uma relação entre música e paciente muito próxima, por conta do poder que ela tem em mexer com a emoção. “Música é algo que toca o nosso coração, então a nossa intenção foi de trazer alegria para os nossos pacientes. A música é curadora, se fecharmos nossos olhos, ela pode nos levar a lugares inimagináveis”, reflete a supervisora do serviço de Hemodiálise do HRBA, Sílvia Somera.

O músico Jaime Costa, integrante do quarteto Canto do Uirapuru, diz que é uma satisfação poder compartilhar um pouco de alegria com os pacientes do hospital. “Para nós é muito revigorante e especial. Viemos trazer o mundo fantástico da música, que toca o coração das pessoas. Sabemos que eles passam por momentos de dificuldade por conta desse tratamento, por isso viemos amenizar um pouco essa angústia”.

Joab Ferreira (Ascom HRBA)