terça-feira, julho 19, 2016

Saxofonista santareno vai representar o Pará em simpósio internacional

A paixão pelo saxofone fez Junior Castro se especializar em instrumentos de sopro (Foto: Vanessa Barros/Divulgação)
Júnior Castro é sobrinho do signatário deste blog,
Jota Parente
A paixão pela música e a dedicação ao aprendizado do saxofone permitiram que o saxofonista santareno Júnior Castro fosse selecionado para representar o Pará e a região norte no II Simpósio Internacional de Saxofone Online (Simsax) queo corre de 1 a 7 de agosto e reúne os maiores saxofonistas do país.

O Simsax é uma organização de músicos que tem como missão transmitir conhecimentos relevantes e transformadores por meio de palestras na internet. A programação inclui vinte e oito palestras com tempo médio de 30 a 45 minutos. O simpósio é voltado para estudantes de música, professores, orquestras, universidades, conservatórios, universidades e demais interessados que apreciam a boa música.

O convite para participar do evento  surgiu depois que um dos organizadores viu o trabalho dele divulgado em seu site pessoal (www.juniorcastrosax.com). Castro vai apresentar a palestra "Uma extensão da mente sonora" em que explica e incentiva o processo de pensar em frases musicais e passar as ideias para o instrumento. O saxofonista vai abordar ainda a importância do solfejo, um dos principais fundamentos para qualquer músico que deseja desenvolver um ouvido musical. (Veja no vídeo Junior Castro tocando).

Ao G1 o saxofonista comemorou a participação no Simsax: "sinto-me imensamente honrado por essa oportunidade em poder contribuir de alguma forma para a comunidade do saxofone por meio da palestra e isso me deixa imensamente feliz e realizado".

Sinto-me imensamente honrado por essa oportunidade em poder contribuir de alguma forma para a comunidade do saxofone por meio da palestra e isso me deixa imensamente feliz e realizado"

Músico, Junior Castro Perfil
Junior Castro nasceu em Santarém e começou os estudos musicais experimentais no teclado digital em 2004. Em Manaus, estudou teoria musical, história da música com os professores Daniel Cauper e Ednelson Barbosa, com os qualistambém estudou clarinete e saxofone alto. Após a temporada de aprendizado na capital amazonense, o saxofonista retornou a cidade natal onde teve a oportunidade de integrar dois importantes grupos orquestrais da município: Orquestra Jovem Maestro Wilson Fonseca e Filarmônica Municipal Professor José Agostinho.

"Foi amor a primeira vista a minha relação com o sax, quando morei em Manaus participei  de um evento religioso e na ocasião havia uma grande orquestra tocando, aí  sentei-me ao lado de um saxofonista, e ao ouvir o timbre daquele instrumento me comoveu bastante. Observar a estética visual do mesmo me deixou encantado", revela Junior Castro que toca saxofone, gaita cromática, flauta doce e flauta transversal.

 O convite para participar do evento  surgiu depois que um dos organizadores viu o trabalho dele divulgado em seu site pessoal (www.juniorcastrosax.com). Castro vai apresentar a palestra "Uma extensão da mente sonora" em que explica e incentiva o processo de pensar em frases musicais e passar as ideias para o instrumento. O saxofonista vai abordar ainda a importância do solfejo, um dos principais fundamentos para qualquer músico que deseja desenvolver um ouvido musical. (Veja no vídeo Junior Castro tocando).

Ao G1 o saxofonista comemorou a participação no Simsax: "sinto-me imensamente honrado por essa oportunidade em poder contribuir de alguma forma para a comunidade do saxofone por meio da palestra e isso me deixa imensamente feliz e realizado".

Sinto-me imensamente honrado por essa oportunidade em poder contribuir de alguma forma para a comunidade do saxofone por meio da palestra e isso me deixa imensamente feliz e realizado"

O músico também faz parte do projeto “Canto, Cordas e Palhetas”, em parceria com os guitarristas paraenses Júlio Tapará e Edmárcio Paixão. Esse novo disco é dedicado à cultura musical paraense e ainda não tem data para o lançamento.

Participou como músico e produtor em diversos festivais de música amazônica, dentre eles: Fecan Trombetas 2008, Fecan Santarém 2012, projeto "As Amazonas do Tapajós" (2011), Encontro das Artes de Santarém (2008 a 2012), Servifest – Santarém (2012, 2013 e 2014), Sairé (2012, 2013, 2014 e 2015), 3ª edição do Festival de Música do Tapajós (2015 e 2016), Canta Santarém (2015 e 2016), Fempo – Oriximiná (2015), Tapajazz Festival (2014 e 2015) dentre outros. No ano de 2013, seu grupo (Grupo Tapajós Instrumental) foi selecionado para o XXVI Festival Internacional de Música do Pará. Participou também do projeto "Da Lapa ao Mascote" (2013), do violonista Sebastião Tapajós (turnê Pará e Rio de Janeiro).