quarta-feira, julho 06, 2016

Edson Uchoa, um administrador pra lá de premiado

              Santareno de nascimento e itaitubense de coração, Edson Uchoa nasceu em 10 de abril de 1979. Ele descende de uma família que por mais de duas décadas, até o final dos anos 80, fez história na garimpagem de ouro na região do Tapajós. Gerente local da Tapajós Motos Honda, Edson é um profissional de grande competência, tendo ganhado diversos prêmios da empresa, como uma recente viagem ao Japão. Ele conversou com a reportagem do JC.
            “Somente quando eu vim para Itaituba, quando comecei a pesquisar sobre a atuação da minha família foi que entendi melhor como foi que meu pai e meus tios ganharam muito dinheiro no garimpo. Em Santarém eu tinha uma ideia disso, mas, foi aqui que obtive respostas para muitas perguntas. Descobri que eles foram donos de quase toda aquela área do Creporizão. Eles, Walter Uchoa, meu pai, Wilson, Weimar e Plínio, meus tios, tiraram muito ouro, trouxeram muita gente para dentro do garimpo e foram verdadeiros desbravadores que contribuíram muito com a economia desta região”, disse ele.
            Edson nunca se interessou em seguir os passos do pai e dos tios, dando prioridade aos estudos como forma de assegurar um futuro com maior estabilidade. Lembra ele que seu pai e seus tios ganharam muito, mas, muito dinheiro no garimpo, mas, no caso de seu pai, afirma que ele não soube administrar, e quase tudo que ele conseguiu, perdeu, restando uma fazenda, que é onde ele mora. Edson chegou a ir para o garimpo ainda garoto, acompanhando sua mãe que vendia roupas e ele a ajudava.
            “Meu primeiro emprego de carteira assinada foi na Celpa, onde trabalhei durante dez anos. Quando saí de lá, já formado, ingressei na Honda, na transição da Hunny para o Grupo Cometa, que não conseguiu a concessão junto à Honda, vendendo para o Grupo Tapajós. Eu já estava aqui em Itaituba, há quatro meses, tendo chegado em 2 de abril de 2008, sendo efetivado na empresa na qual estou até hoje”, declarou Edson.
            Tudo que ele conseguiu até hoje em sua vida foi conquistado dentro dessa empresa, afirma Edson. Casa, carro, uma vida confortável, viagens, prêmios, tudo foi através do seu trabalho na Tapajós Motos.
            “Com o nosso trabalho, meu e de todos os nossos colaboradores, porque nós trabalhamos em equipe, a nossa concessionária de Itaituba alcançou o patamar de 21ª colocada no ranking nacional, num universo de mais de 1.200 revendedoras em todo o Brasil. Diante desses números, muitos prêmios a gente tem conseguido, pois a Honda faz muitas promoções que beneficiam, tanto vendedores, quanto gerentes. Durante os quase nove anos que estou aqui, já conheci oito países, todos como prêmio por alcançar as metas estabelecidas pela Honda”, afirmou ele.
            Edson só não esteve ainda no continente africano. Agora mesmo ele acaba de retornar do Japão, numa viagem de vinte dias. Antes, conheceu  Argentina, Estados Unidos, Aruba, Espanha, Portugal, Áustria e República Tcheca. Disse que tinha muita curiosidade de conhecer o Japão, porque conviveu com um vizinho de origem japonesa, com o qual conversava muito, o que despertou o desejo de conhecer a Terra do Sol Nascente, de onde voltou encantado com a organização do país e com a educação de seu povo. Conheceu Tóquio, Kyoto, que foi onde a história da Honda começou, pois foi lá que Toshiro Honda montou a primeira fábrica que se transformou nesse império. Teve a felicidade de conhecer a primeira fábrica. De Kyoto foi com o grupo que compunha a caravana, para a cidade de Okinawa e Yokohama. Diz que isso acrescentou muito em sua vida pessoal.
            Pé quente – “Eu brinco com os nossos colaboradores, dizendo que nós somos pé quente, pois no ano de 2013 tivemos a sorte de clientes nossos ganharem duas casas em uma campanha nacional, entre mais de 1.200 concessionárias. Uma casa foi ganha por um cliente de Itaituba, e outra por um de Novo Progresso, que a gente atende também.

            Edson Uchoa afirma que recebeu convite para voltar para Santarém com as mesmas condições de trabalho que tem em Itaituba, mas, sente-se tão bem, tão ambientado aqui, que optou por ficar na Cidade Pepita, porque a considera muito acolhedora. O que puder fazer para colaborar para que a cidade melhore, fará. Só espera que os governantes tratem melhor Itaituba. E para os empreendedores, diz que se não existissem problemas, não teria muito para se fazer. A Tapajós Motos Honda trabalha com noventa funcionários, e apesar da crise, o ritmo de venda consegue ser mantido. Então, a receita é atacar os problemas de frente, não se abater, porque os problemas existem para serem resolvidos, finalizou.