quarta-feira, julho 06, 2016

Monte Alegre exportou 15 toneladas de limão para Manaus, ontem

Só nesta semana, cerca de 50 toneladas de limão serão exportados
para Manaus, Macapá e Belém. A máquina de beneficiamento agora
atende aos interesses dos produtores
José Maria Piteira

Em meio à incredulidade de alguns, inclusive de produtores rurais presentes, a máquina de beneficiamento de limão da Prefeitura de Monte Alegre (PMMA), no oeste do Pará, recomeçou a funcionar, ontem, agora sob gestão da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Semab). Eram pontualmente 10h30 quando o botão de ignição foi acionado, e o conteúdo das primeiras basquetas, despejado na caixa de recepção que inicia o processo de lavagem e enceramento do limão.

Muitas pessoas compareceram ao local, principalmente produtores rurais, que vieram conhecer in loco o trabalho - e também para acreditar que tudo iria dar certo. Vereadores, dirigentes de órgãos públicos também estavam presentes, além de curiosos. O momento foi de emoção para vários deles.

"Este momento representa uma conquista muito importante para todos nós, mas principalmente para os produtores de limão de Monte Alegre. Esta máquina foi comprada para beneficiá-los, mas estava sendo usada para atender outros interesses", afirmou o prefeito Arinos de Brito Chaves. Ele se referiu ao período em que o equipamento ficou a serviço de uma empresa de exportação do produto, até 22 de junho passado, quando uma ordem judicial devolveu a máquina à PMMA.

"Eu agradeço a todos que nos ajudaram a alcançar êxito nesta luta, inclusive a Câmara de Vereadores e a nossa assessoria jurídica, mas principalmente aos produtores. Sem vocês, nada disto teria acontecido", disse o prefeito, dirigindo-se aos produtores presentes.

Ontem, cerca de 15 toneladas de limão beneficiado foram embarcados para a cidade de Manaus, a capital do Amazonas, o principal mercado consumidor da produção de Monte Alegre. Cada basqueta com 25 quilos será vendida a R$ 15,00. Novos embarques vão acontecer, na quinta e sexta-feira, também para as cidades de Belém e Macapá, com aproximadamente 35 toneladas do produto.

Com o início do verão, a tendência é de aumento no preço. 

Enviado para o blog pelo geólogo José Waterloo Leal