quarta-feira, junho 15, 2016

Wlad ataca de novo e trai a própria (in)consciência

Blog do Josias de Sousa

Empurrada para dentro do Conselho de Ética como uma espécie de coelho que Eduardo Cunha tiraria da cartola na última hora, Tia Eron (PRB-BA) subverteu a expectativa do mentor da manobra. Ao votar, a deputada disse “sim” à cassação de Cunha como quem tira uma cartola de dentro do coelho. Antes, afirmara que ninguém manda “na nega aqui”.
Ao farejar a derrota do aliado, o deputado Wladimir Costa (SD-PA), que acabara de discursar sobre a falta de provas contra Cunha, traiu a própria (in)consciência. Deve ter sentido o hálito da Opinião Pública. E Cunha, que esperava prevalecer por 11 a 9, perdeu pelo mesmo placar.