domingo, junho 12, 2016

Jornalista denuncia agressão policia por homofobia

NOTA DO BLOG: O repórter Valnir Brito, ex-repórter do SBT local, que atualmente exerce seu míster no estado do Maranhão, relata indignado ter sido agredido por um policial em uma abordagem. A Associação dos Profissionais de Imprensa de Itaitub-API, através de seu presidente, Orlando Pierre, informa a entidade irá àDelegacia de Polícia e à Corregedoria,sendo que foi agendada reunião com o comandante da PM para que sejam tomadas as providências que o caso requer. A Associação se fará acompanhar pelo advogado da entidade, Dr. Moisés Aguiar.

O jornalista agredido não revela o nome do policial e nem o número da viatura a qual pertencia o policial. O blog está à disposição da corporação para os devidos esclarecimentos acerca do ocorrido!

"Isso aqui, minha gente, não é apenas a marca da mão de um policial, isso aqui é retrato do despreparo de alguns policiais.Eu tenho uma grande admiração pelo trabalho da polícia, porque a maioria merece, mas defino o ocorrido de hoje como ABUSO DE AUTORIDADE; HOMOFOBIA; FALTA DE RESPEITO PARA O CIDADÃO E À SOCIEDADE, protagonizado por um agente que se sabe, recebe nosso dinheiro – via impostos – para agir de forma respeitosa as pessoas.

Hoje, passando alguns minutos da meia noite, sai pra buscar um amigo pra irmos à uma festa, no caminho parei porque ele precisava descer para urinar, eu continuei no veículo esperando. Enquanto ele terminava, fomos abordados por uma guarnição da polícia militar. Eles nos revistaram, fomos interrogados, e por fim levei uma porrada de um agente policial.

Tudo isso porque quando fui abordado um dos policiais chegou perguntando se nós estávamos NAMORANDO, eu disse que não e perguntei, em um tom de voz normal, "mas se estivéssemos, teria algum problema?". Antes de me dar o tapa violento, o mesmo que me agrediu, me mandou ficar em pé "com jeito de homem".

Daí pra frente apenas fiquei calado, porque tenho certeza de que se eu falasse mais qualquer coisa, agora estaria preso e antes teria sido espancado, não por estar na rua durante a noite, até porque não é crime, os documentos do veículo e a minha habilitação estão em dia, nunca usei drogas nem cometi qualquer crime, nem o meu amigo. E o policial, com ele não aconteceria nada porque ele por sua vez iria dizer que eu o DESACATEI.

Desacato senhor policial é ser tratado igual um bandido, mesmo depois de ter agido de forma a respeitar o seu trabalho, e lhe obedecer. Tudo isso por puro preconceito do senhor.

Eu estou aqui indignado, não tanto pela mãozada que tomei no peito, porque isso logo passa, mas pela situação mais que constrangedora que fui obrigado a passar, nem por bandidos eu já fui tratado com tanta humilhação assim (porque eu já fui assaltado por diversas vezes). Será que a própria polícia que devia estar abordando os civis com educação e principalmente RESPEITO, é a primeira a tocar o terror?

Aprenda senhor policial, que primeiramente os policiais têm obrigação de respeitar as pessoas quando das abordagens e das revistas. E cometem crime de tortura, de lesão ou morte, ou de abuso de autoridade, entre outros, quando agridem injustificadamente as pessoas, quer por atos quer por palavras.


Extraído do blog do Norton Sussuarana