quinta-feira, junho 23, 2016

Empreendimentos, até agora tem trazido mais problemas que benefícios para a população de Itaituba

Uma das maiores farsas em curso atualmente é a história de que a comunidade ribeirinha de Santarenzinho pertence ao município de Rurópolis e, por mais incrível que possa parecer, essa comédia é afiançada por importantes figuras política itaitubense.
Os autores desse embuste parecem apostar no velho ditado nazista que diz que uma mentira repetida mil vezes passa a ser verdade, e embora essa fraude venha sendo contestada na justiça pela Prefeitura de Itaituba,  as empresas de logística de transportes de grãos que estão se instalando no porto de Santarenzinho, consideram a localidade como território do município de Rurópolis; tanto é assim, que a solicitação de licença previa já com parecer favorável do Conselho Estadual de Meio Ambiente e da SEMAS do estado para a construção de sua estação de transbordo, a Odebrecht Transportes, cita a comunidade de Santarenzinho como pertencente ao município de Rurópolis.
Se essa farsa não for logo reparada, o município de Itaituba terá  que dividir com o seu vizinho, as compensações desse projeto, mas vai arcar sozinho com os impactos sociais e ambientais, que não serão poucos.
A boa noticia para Itaituba é que o COEMA aprovou um parecer determinando que de agora em diante qualquer empreendimento implantado no estado do Para somente terá aprovada as licenças exigidas pelos órgãos ambientais se apresentar um projeto de verticalização de parte da sua produção, o que asseguraria a geração dos empregos tão esperados principalmente para os nossos jovens.
No caso das empresas de transportes de grãos que estão se instalando e as que já estão instaladas, num prazo de seis meses terão que apresentar projetos para industrializar um percentual dos grãos a ser embarcados através dos portos de Miritituba.
Esse parecer do Conselho Estadual de Meio Ambiente ainda deve ganhar força de lei estadual, para constar como condicionante na liberação das licenças ambientais e vai ajudar a aliviar um pouco a pressão social que o município já está enfrentando por conta desses empreendimentos que até agora tem trazido mais problemas que benefícios para a população de Itaituba.

Jornalista Weliton Lima, comentário veiculado no Focalizando, quinta-feira, 23/06/2016