quinta-feira, abril 07, 2016

Protestos contra o governo do estado por causa da ameaça de mudança na matriz curricular

Professores realizam ato contra decisão do governo (Foto: Reprodução/Twitter)
Professores e estudantes da rede estadual de ensino realizaram uma manifestação em Belém, na manhã desta quinta-feira (7), em protesto pela decisão do governo de reduzir a carga horária de aulas.

De acordo com Conceição Holanda, do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará (Sintepp), a categoria havia decidido paralisar as atividades hoje em protesto, mas decidiu fazer uma passeata até o prédio da Secretaria de Estado de Administração (Sead) para chamar a atenção do governo. "Queremos impedir a aprovação da reformulação da matriz curricular que o governo Jatene quer fazer, ou seja, ele quer reduzir a carga horária de aulas, e com isso os alunos ficarão prejudicados, pois assim os alunos não estarão devidamente preparados", disse Conceição Holanda.

Ainda segundo Conceição Holanda, o Estado encaminhou para o Conselho de Educação o pedido na redução de quantidade de aulas e diminuir as disciplinas dos estudantes.

“Eles querem reduzir agora que o ano letivo iniciou, os alunos e os professores estão revoltados com essa situação, somos contra a redução e queremos abrir esse debate com o governo. Se não nos chamarem para conversar, vamos mobilizar o Estado e paralisar as atividades geral. Vários municípios se mobilizaram hoje também”, completou Conceição Holanda.

Os municípios de Parauapebas, Castanhal, Conceição do Araguaia e Marabá também se mobilizaram hoje e realizaram atos contra a decisão do governo.
A categoria disse que o governo marcou uma reunião para a próxima quinta-feira (14) e, caso não aconteça, haverá paralisação geral de professores e alunos da rede estadual de educação e uma nova passeata.

O DOL fez contato com a Seduc e aguarda posicionamento.
----------------------------------
Nota do blog: ontem e hoje houve manifestações em Itaituba, quando escolas de ensino médio saíram pelas ruas da cidade protestando contra as prováveis mudanças.

Não é sem motivo que o Pará ostenta a fama de ter uma das piores educações do Brasil.