quinta-feira, abril 07, 2016

Dura lex, sed lex

Caro blogueiro Jota Parente, acompanho seu blog e tenho visto que você posta com frequência, notícias e comentários a respeito dos inúmeros problemas do trânsito em Itaituba.

Itaituba é uma cidade cujo tamanho é muito menor se comparado ao absurdo número de acidentes de trânsito com vítimas fatais. Não há explicação compreensível para o que acontece aqui. Porque tanta pressa de alguém que sai, por exemplo, da 10ª Rua da Cidade Alta rumo ao centro da cidade? Vai pra onde esse tipo de condutor, que tem aos borbotões por aqui?

Assistindo certa vez o Programa do Jô, quando ele ainda era do SBT, perguntou o entrevistador, se seus telespectadores achavam que o povo norte-americano era mais era mais educado do que nós, por juntarem as fezes dos seus cachorros em ruas e praças. Ele mesmo respondeu que até podem ser um pouco mais, porém, mesmo quem não nasceu lá segue o ritmo do povo local pelo simples fato de que é aplicada uma pesada multa em quem não junta. Então, enquanto não doer no bolso, enquanto a lei não for cumprida, enquanto não houver repressão forte aos infratores, ou muitas vezes, criminosos do trânsito, vai continuar do mesmo jeito.

Se a legislação de trânsito fosse observada com mais rigor, e se quem mata alguém num acidente no qual o condutor esteja embriagado, ou não habilitado, não saísse sorrindo de uma delegacia, porque sabe que nada vai lhe acontecer, se essa pessoa ficasse um bom tempo atrás das grades, duvido se isso não mudaria.

Bastou os agentes da Comtri e do Detran passarem algumas semanas apertando na fiscalização para vermos que houve uma boa redução nos acidentes e no número de vítimas.

Então, como se dizia na Roma antiga, dura lex, sed lex. Ou seja, a lei é dura, mas, é a lei. E precisa ser cumprida. Só isso já vai ajudaria muito.

É o que eu penso.


Arnaldo Bazílio