sábado, abril 23, 2016

Atriz foi torturada por Ulstra

Atriz foi torturada por Ustra; Fanpage cresce (Foto: Divulgação)
A atriz Bete Mendes não gosta de comentar o assunto. Ela foi uma das torturadas pelo coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, durante a ditadura militar. O nome dele voltou a ganhar destaque após a homenagem feita por Jair Bolsonaro (PSC-RJ) ao coronel, durante votação sobre o impeachment de Dilma Rousseff, no último domingo (17).A declaração levou a OAB-PA a encaminhar um pedido de cassação do deputado por apologia à tortura.

“Isso me marcou profundamente. Não desejo para o meu pior inimigo. A tortura física é a pior perversidade da raça humana; a psicológica, idem”, declarou Bete ao jornal Folha de S. Paulo, durante uma entrevista em 2013.
Presa e torturada em 1970, ela disse que com tanta humilhação, o que desejava era apenas sobreviver.

O encontro com Ustra veio em 1985, no Uruguai, quando ela era deputada. Assim que chegou ao Brasil, escreveu uma carta para o então presidente José Sarney denunciando o ex-torturador, que ocupava o posto de adido militar da embaixada do Brasil.

“Não posso calar-me ante a constatação de uma realidade que reabriu em mim profunda e dolorosa ferida... Digo-o, presidente, com conhecimento de causa: fui torturada por ele. Imagine, pois, vossa excelência o quanto foi difícil para manter a aparência tranquila e cordial exigida pelo cerimonial: Pior que o fato de reconhecer meu antigo torturador, foi ter de suportá-lo seguidamente a justificar a violência cometida contra pessoas indefesas e de forma desumana e ilegal como sendo para cumprir ordens e levado pelas circunstâncias de um momento”, dizia trecho da carta.


A atriz já declarou também que superou o período com tratamento psicológico e trabalho. Ela ainda tem problemas de audição por causa da tortura, revelou também ao jornal paulistano. (DOL)