sexta-feira, fevereiro 12, 2016

Políticos preferiram os retiros religiosos ao carnaval

Na preferência entre e o carnaval e os retiros religiosos, os políticos aqui em Itaituba optaram em passar para a opinião publica uma imagem mais conservadora e sumiram da avenida.
Nada de folia nesse momento de crise econômica. A maioria preferiu ir aos retiros religiosos e a participação nos blocos ficou só na disputa das eleições municipais.
E agora que o período de festas já passou, é hora de a administração municipal usar todos os trunfos que tem para tentar melhorar a avaliação do governo junto ao eleitor; e só há um jeito disso acontecer: é fazer mais e mais asfalto.
Embora o governo contabilize dezenas de quilômetros de ruas pavimentadas, isso é quase nada quando comparado com a quantidade de ruas que precisam desse serviço.
Além dos problemas de ordem administrativa, a prefeita ainda tem que lidar com uma delicada questão política, que é a escolha do partido para a disputa da eleição.
O tempo está passando e o prazo limite para isso está se esgotando. E o suspense que se criou em torno dessa decisão, não por vontade própria, pois a essa altura a prefeita já esperava ter definido esse embaraço político, conquanto essa é uma situação completamente atípica vivida por um chefe de governo.
O gestor de um município do porte de Itaituba não pode passar por um dilema  desses às vésperas de uma eleição.

Os retiros religiosos devem ter servido para uma reflexão mais profunda sobre esse momento político, e a prefeita sabe, que para quem está atravessando uma  tempestade, qualquer porto é seguro.
Jornalista Weliton Lima, comentário do Focalizando, quinta-feira, 11/02/2016