quinta-feira, janeiro 28, 2016

Crime de Altamira: Chiara foi mantida viva para servir de alibi para o irmão

Com sete acusados presos, sendo um deles da família, as investigações sobre o assassinato dos empresários Luís Alves Pereira e Irma Buchinger Alves, e seu filho mais velho Ambrósio Buchinger Neto continuam e uma nova peça sobre o crime foi divulgada em coletiva de imprensa realizada na tarde desta quarta-feira (27), em Altamira, oeste do Pará.
O delegado Vinicius Dias, responsável pela investigação do caso, disse que Chiara Buchinger, filha do casal que saiu viva do triplo homicídio, não foi assassinada com o objetivo de Henrique Buchinger Alves, suspeito de envolvimento nas mortes, manter a irmã como álibi.
Na coletiva, foi esclarecido como foi a participação de cada um dos envolvidos no crime. Anderson Moraes e Aguinaldo Soares invadiram a residência, onde renderam Henrique por primeiro. Mateus de Oliveira Costa foi responsável por deixar os bandidos no local e pela fuga. 
Mesmo negando que tenha participado da morte dos pais e do irmão,Henrique é acusado por um dos presos pelo homicídio. No dia do assassinato, ele ficou preso com a irmã dentro do banheiro, mas foi retirado pelos bandidos em um momento, quando viu a mãe morrer, em seguida voltou para o cômodo.
Cinco acusados do crime estão em Altamira e dois em Belém, todos ficarão na capital paraense. Os que estão no município em que o crime ocorreu estariam sendo ameaçados de mortes por outros presidiários.
As prisões realizadas até o momento são temporárias.
(DOL) 27.01.215 - (21:22:27)