terça-feira, janeiro 12, 2016

CDL deverá ter eleição dentro de 90 dias

Com a presença de apenas dezesseis dos seus cento e oitenta associados, portanto, com menos de dez por cento deles, a Câmara de Dirigentes Lojistas realizou reunião de assembleia geral  que foi convocada para esta terça, 12.

Havia muita expectativa em torno da reunião, porque os ânimos andaram bastante exaltados entre as duas chapas que se apresentaram para disputar a eleição.

Para alívio de todos, as discussões foram tranquilas, mantendo-se a urbanidade, e pelo visto, as divergências podem até continuar, mas, dento do campo das ideias.

Por unanimidade, ficou aprovado que dentro do prazo de noventa dias deverá acontecer eleição para nova diretoria, ou para continuação da atual, uma vez que a assembleia geral também decidiu que a atual diretoria cujo presidente é Davi Menezes poderá concorrer a mais um mandato.

Da mesma forma, com o poder absoluto que tem dentro do que preceitua o estatuto da entidade, a assembleia geral achou por bem que Davi continua gerindo os destinos da entidade até que se realize o pleito.

Não houve nenhuma discussão mais acalorada, e as colocações dos associados presentes foram sempre no sentido de que a unidade da CDL seja mantida, porque a divisão enfraqueceria sua força. E nisso todos concordaram em gênero, número e grau.

Foi formada a comissão eleitoral, que será responsável pela condução do processo que escolherá a próxima diretoria.

Os três nomes que a compõem são: Dejair Machado, Agenilton da Silva Abreu e Odeomar Martins de Melo.

Nenhum deles faz parte das duas chapas que deverão concorrer.

Agora, a comissão eleitoral depende do julgamento da liminar que suspendeu a eleição marcada para 18 de dezembro passado para poder começar a realizar o seu trabalho. Só isso pode atrasar em alguns dias o processo eleitoral.


A reportagem do blog conversou com Patrick Sousa e com Davi Menezes, e ambos se pronunciaram satisfeitos com o resultado da assembleia geral, sobretudo pela forma tranquila com que ocorreu.

Ambos lamentaram a ausência da maioria dos associados, com o que já estão todos acostumados, mas, nem por isso deixam de comentar, porque quanto maior for a presença, mais forte será a entidade. Mas, os empresários ainda não entenderam isso.