domingo, dezembro 27, 2015

Quem sobrevive ao caos do trânsito de Itaituba, dirige em qualquer lugar

Eu, observando o trânsito em Caracas, em um lugar tranquilo
Depois daí foi que enfrentamos a loucura nunca vista antes
Quando eu e o Jadir entramos em Caracas, capital da Venezuela, em outubro de 2008, tomamos um baita susto com a loucura do trânsito da cidade.

O Jadir disse na ocasião, que descobriu que buzina foi inventada para os caraquenhos usarem, porque a gente não viu em nenhum outro lugar dos países da América do Sul pelos quais viajamos, tanto buzinaço.

É ensurdecedor, porque todo mundo buzina a toda a hora, uma vez que o tráfego flui com muita dificuldade, mesmo em ruas largas, porque tem carro demais, de tudo quanto é idade, pois a gasolina é quase de graça.

Pois bem, com toda aquela loucura de carros por todos os lados, também descobrimos uma peculiaridade: os motoristas mantém uma distância considerável de uma para outro carro, oferecendo aos motociclistas um espaço confortável para passar entre eles sem maiores riscos.

Tiramos de letra. Afinal de contas, tínhamos saído de Itaituba, cidade que tem um dos trânsitos mais irresponsáveis dos que conheço, e olha que eu já conheço um monte de cidades, pilotando uma moto.

Quem consegue sobreviver ao trânsito de Itaituba, e o termo correto é esse mesmo, sobreviver, pode conduzir um veículo em qualquer lugar do mundo.

Pelo segundo final de semana consecutivo, atingimos o total de seis mortes por acidentes de trânsito, três em cada final de semana.

É um número assustador, que pode piorar na passagem de ano, se o pessoal não tomar juízo.

Venho dizendo já faz algum tempo, que fazer campanha de educação de trânsito para condutores adultos em Itaituba é chover no molhado. Para esse pessoal, somente o rigor da lei pode funcionar. Mas, não funciona porque, ou não há agentes de trânsito o suficiente para estarem muito mais presentes nas ruas, ou os órgãos não funcionam como deveriam.

A verdade é que cada um tem que se defender como pode, pois aqui existe muito condutor irresponsável, e isso não será resolvido apenas com uma presença mais ostensiva das autoridades de trânsito nas ruas.

Isso é muito pior entre os motociclistas, que pilotam sem capacete, que cortam pela direita dos motoristas, que empinam moto a toda hora.

Há ainda os casos de menores em carros e motos, que se transformam em armas, por causa da irresponsabilidade dos pais, que deveriam ser presos.

Mas, prender para que, se nem mesmo aqueles que matam no trânsito, depois de terem enchido a cara, ficam presos?

Defenda-se, e defenda a vida dos seus filhos, evitando dar a eles um veículo, se eles não forem habilitados, ou se já forem, e quiserem sair de carro ou de mota para a balada.

Aqui o trânsito está assim: se você tem raiva de alguém, basta pegar seu carro e passar por cima.

O máximo que vai acontecer é ser apresentado na Seccional de Polícia, saindo alguns minutos depois pela porta da frente, sem nenhuma preocupação com o que vai lhe acontecer do ponto de vista legal no futuro.


Infelizmente a cidade está cheia de casos desse tipo.