terça-feira, dezembro 01, 2015

Descrente por causa de tudo de ruim que vê na política, o povo apenas ouve, sem entusiasmo, quando um político fala

Trecho do Informe JC, da edição 207 do Jornal do Comércio

O povo só ouve 1
Por ocasião da visita da comitiva do ministro Helder Barbalho a Itaituba, durante as falas dos políticos, incluindo a do próprio Helder, os observadores atentos puderam notar algo que retrata bem a realidade presente do Brasil quanto aos políticos em geral: todos ouviram atentamente o que os visitantes tinham a dizer, mas, excetuando um momento em que o deputado federal Zé Geraldo se emocionou, quando mereceu algumas palmas, nas demais falas, os que estavam lá ouviram com educação, mas, não demonstraram nenhum entusiasmo.

O povo só ouve 2

O povo cansou de ouvir discursos bonitos, e agora espera que primeiro aconteçam as coisas, obras, por exemplo, para depois aplaudir. Se continuar desse jeito, se as pessoas mantiverem esse tipo de comportamento, seja diante dos políticos daqui, com os da capital ou os de Brasília, isso significa que estamos amadurecendo. Se isso acontecer, estará perto o dia em que o cidadão terá entendido que os políticos que elegemos não são nossos patrões. Ao contrário, nós é que somos os patrões. Chega desse negócio de todo mundo puxar saco de prefeito, governador, deputado ou senador. Eles devem trabalhar em função da gente, e devem perder essa empáfia de benfeitores da nação.