terça-feira, dezembro 29, 2015

CNBB faz agradecimento à dedicação de Dom Erwin Kräutler

Foto:  Christoph Wider
Em mensagem assinada pelo secretário geral e bispo auxiliar de Brasília (DF), dom Leonardo Ulrich Steiner, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) agradeceu a dom Erwin Kräutler, que se destacou desde 1981 à frente da Prelazia de Xingu (PA) e renunciou na quarta-feira passada. O papa Francisco atendeu o pedido de renúncia apresentado pelo bispo e designou o frei João Muniz Alves para substituí-lo. Em outra mensagem, a CNBB saúda o frei João Muniz Alves, o atual bispo da prelazia do Xingu (PA).  
A mensagem da CNBB sobre dom Erwin destaca que ele "é um brasileiro que veio da Áustria na década de 1960"; atuou em Altamira (PA), de 1965 a 1980. Como bispo do Xingu, serviu a esta prelazia durante 34 anos; foi presidente do Conselho Indigenista Missionário (CIMI) por diversos mandatos. "É conhecido, no Brasil e no mundo, como grande defensor da causa indígena, que assumiu como sua. Em 2010, recebeu o prêmio Right Livelihood Award (Prêmio Nobel Alternativo) por sua dedicação aos povos indígenas e à Amazônia". 
"No caminho missionário, traçado pelo Evangelho da Vida, Dom Erwin seguiu plenamente seu lema episcopal, 'Servo de Cristo Jesus', colocando-se a serviço dos povos mais vulneráveis, sendo muitas vezes voz ressonante daqueles que clamam por seus direitos e projetos de vida, denunciando os males que ferem a dignidade humana e o meio ambiente, não se calando, mesmo quando ameaçado de morte ou tendo seus irmãos e irmãs de caminhada assassinados",  é dito na mensagem, disponível no site da CNBB (http://www.cnbb.org.br/).
Por sua determinação em atuar em prol das famílias do Brasil Profundo, ou seja, de famílias em situação de risco por conta de conflitos fundiários e das agressões ao meio ambiente no cenário da Floresta Amazônica, matéria-prima do sustento desses cidadãos do Norte do País, dom Erwin tornou-se um símbolo da defesa dos interesses das comunidades mais fragilizadas no processo de ocupação da Amazônia. Sua atuação serviu de referência para movimentos sociais na região, em busca de justiça social. Dom Erwin denunciou crimes como a exploração sexual de crianças e adolescentes e a extração ilegal de madeira na região do Xingu. O pedido de renúncia do bispo se deu por causa da idade avançada -- dom Erwin está com 76 anos de idade. Mas dom Erwin deverá permanecer na região, atuando como bispo emérito.
Frei
Na saudação da CNBB ao novo bispo da Prelazia o Xingu (PA), com 330 mil católicos, frei João Muniz Alves, é expressado o desejo que "seja a marca de seu ministério episcopal o Rosto da Misericórdia, pelo bem do povo e da Igreja Particular que lhe é confiada”.  O frei João Muniz Alves foi nomeado pelo papa Francisco no dia 23 deste mês de dezembro como bispo da Prelazia do Xingu (PA).
De acordo com o texto da CNBB, frei Muniz é natural de Santa Rita (MA) e pertence à Ordem dos Frades Menores (OFM), na qual realizou sua profissão solene em 14 de janeiro de 1991. Foi ordenado presbítero no dia 4 de setembro de 1993. Atualmente é professor de Teologia Moral no Instituto de Estudos Superiores do Maranhão (Iesma), vigário paroquial na Fraternidade Franciscana de Nossa Senhora da Glória, em São Luís(MA), além de guardião e formador de estudantes de Filosofia e Teologia."Suplicamos para esse nosso irmão a bênção de Deus que se fez homem e a maternal proteção da Virgem Maria".
ORMNews