quinta-feira, dezembro 31, 2015

CDL termina o ano de 2015 e começa 2016 com impasse na eleição para nova diretoria - Parte 2

Davi Menezes, pres. da CDL
Foto: JParente
Às quatro horas da tarde deste dia 31 de dezembro a reportagem do blog do Jota Parente manteve contato com Davi Menezes.

Segundo ele, o estatuto da CDL determina que a eleição tem que acontecer até o final da segunda quinzena de outubro, não havendo necessidade de a convocação ser lançada em abril, como dito por Patrick.

A exigência, segundo disse, é para que o edital seja publicado 60 dias antes da data da eleição, cabendo à assembleia geral a nomeação de três pessoas para comporem a comissão eleitoral que conduzirá o pleito.

A posse do presidente eleito tem que acontecer no primeiro dia útil de janeiro, afirmou Davi, que ressaltou que os presidentes da CDL tem assumido o cargo em meses e datas distintas.

Isso aconteceu com ele mesmo, que quando assumiu pela primeira vez o cargo de presidente, foi em abril, e mais recentemente, nessa segunda passagem pela presidência ele foi empossado em junho de 2012.

Davi reconhece que deixou de cumprir o estatuto quando não convocou a eleição no período determinado.

Explica sua decisão de extrapolar o prazo, por estar fazendo algumas melhorias no prédio da CDL, embora tenha consciência de que isso não serve como justificativa.

No mês de novembro, o associado Patrick Souza registrou uma chapa para concorrer ao pleito que estava marcado para 18 de dezembro. Em dezembro foi a vez de Davi registrar a sua para tentar mais um mandato.

Porém, no dia 17 de dezembro veio a decisão da Justiça de suspender a eleição.

No dia 23 de dezembro foi realizada uma reunião entre alguns integrantes da chapa de oposição, entre eles Patrick, como enfatizou Davi, e o atual presidente para tentar resolver esse imbróglio.

Conforme informou Davi ao blog, ficou definido entre as partes envolvidas, que no dia 12 de janeiro será realizada uma reunião extraordinária de assembleia geral, para que os associados decidam o que vai ser feito, se vai ter eleição para nova diretoria, ou se uma comissão provisória será criada para conduzir o processo eleitoral.

Davi informou que vai enviar as informações solicitadas pela Justiça, assim que terminar o recesso do Poder Judiciário, após o dia 6 de janeiro.

Ele também falou que sua candidatura está mantida para tentar mais um mandato.

Para o atual presidente, existe um componente político nessa questão, e ele finalizou dizendo que acha que não era preciso chegar a esse ponto.


A verdade é que uma entidade tão importante para Itaituba precisa resolver essa situação o mais rápido possível, pois a CDL tem estado presente em momentos decisivos da vida do município. E vai continuar sendo uma voz muito forte na defesa dos interesses da comunidade itaitubense.