quinta-feira, dezembro 03, 2015

Ao completar 159 de fundação, Itaituba merece, pelo menos, respeito

Ocupações irregulares, construções erguidas fora do alinhamento padrão das ruas, espaços públicos servindo como canteiro de obras e operários trabalhando sem nenhum tipo de segurança. Todas essas irregularidades são vistas diariamente nas ruas de Itaituba.
É comum ver operários da construção civil preparando a ferragem que vai ser usada em construção em plena rua e isso ocorre tanto em obras publicas como nas particulares e, não há por parte do setor de fiscalização da prefeitura e nem do conselho regional de engenharia, nenhuma iniciativa para inibir essas irregularidades.
Várias vezes esse espaço já foi usado para criticar essa omissão dos órgãos competentes e as críticas pareciam não encontrar eco na sociedade.
Felizmente, agora alguns vereadores resolveram cumprir o papel que lhes é devido e, começaram a questionar a prefeitura sobre essa situação desregrada que tomou conta do setor imobiliário na cidade.
Os novos prédios comerciais que estão sendo construídos não demonstram, na sua arquitetura, a menor preocupação com a estética da cidade; é como se aqui fosse um vilarejo qualquer, onde todos estão de passagem e sem maiores preocupações sociais ou ambientais.
Essa visão egoísta e gananciosa precisa ser combatida não somente pelos órgãos competentes, mas por todos que sonham com uma Itaituba mais organizada, próspera e mais bonita. E cabe ao governo a iniciativa de aplicar os mecanismos legais para impedir que essas agressões continuem acontecendo, e o plano diretor é o instrumento que deve ser usado para o ordenamento de uso dos espaços públicos. A questão é, o governo querer fazer isso?
E nesse momento é oportuno lembrar que Itaituba está completando 159 anos de fundação, e se não dá para comemorar essa data com o brilho que ela merece, que pelo menos a administração municipal não permita que a nossa cidade seja ultrajada por quem não tem nada a ver com a sua história.


Jornalista Weliton Lima, comentário do telejornal Focalizando, 03/12/2015