sexta-feira, dezembro 11, 2015

A Celpa e suas multas absurdas

A energia elétrica tem sido a grande vilã da população  itaitubense nos últimos anos. A tarifa de luz  subiu tanto que muita gente já não pode mais usufruir o conforto que esse serviço oferece, e se não bastasse a surpresa quase sempre desagradável com o preço da conta ao final do mês,  agora  o consumidor passou a conviver com a ameaça de multas que estão sendo aplicadas pela empresa que presta para a rede Celpa o serviço de troca dos medidores de energia .
Não são poucos os registros de casos em que os consumidores são acusados de fraudar o medidor de energia de sua residência, mesmo o aparelho estando afixado ao poste da rede Celpa completamente exposto à intervenção de quem quer que seja; e pior do que a multa é o constrangimento imposto a um pai, ou uma mãe de família ao ser acusado de furto.
Legalmente, ninguém pode ser responsabilizado por danos a um equipamento instalado do lado de fora de sua casa, mas muitos consumidores estão sendo multados e multas pesadas, baseadas apenas numa vistoria feita, às vezes, até sem a presença do consumidor.
O Ministério Público já questionou isso na Justiça, mas a empresa conseguiu derrubar a ação do MP e amparada por uma liminar, as vistorias continuam e consequentemente os multas também. Pelo menos agora os medidores sob suspeita de adulteração são encaminhados para a perícia em órgãos oficiais na capital do estado.
Por precaução, o consumidor deve evitar assinar qualquer papel sem antes se certificar direitinho do está escrito no documento e acompanhar a retirada do medidor e sua devida embalagem. E quem já foi multado deve procurar o PROCON,  ou o Juizado Especial para tentar reverter a multa, ou pelo menos questionar a fórmula de cálculo aplicado.
Para o consumidor que ainda não passou por essa situação, é bom ficar atento, e ao perceber qualquer alteração no seu consumo, deve imediatamente registrar uma ocorrência na policia ou na própria Celpa evitar futuro constrangimento.

Jornalista Weliton Lima, comentário veiculado no telejornal Focalizando, quinta-feira (10/12/2015