sexta-feira, novembro 20, 2015

A eterna desorganização urbana de Itaituba

A desorganização urbana em Itaituba parece não incomodar  ninguém, muito menos quem legalmente tem a obrigação de zelar pelo embelezamento da cidade, e embora esse seja um assunto recorrente, eu não consigo me conter com alguns absurdos  que são permitidos aqui.
Não dá para compreender, por exemplo, como a prefeitura concede alvará para a construção de um galpão localizado de frente para a orla, ao lado do prédio do Poder Legislativo Municipal, numa das áreas mais nobres da cidade.
A Avenida Getúlio Vargas tem  visão privilegiada para o rio Tapajós, e nesse espaço  só deveriam ser permitidas novas edificações que viessem para melhorar o panorama visual da cidade.
Em qualquer outra lugar administrado com o mínimo de preocupação com a estética urbana, esse tipo de edificação no centro da cidade jamais seria autorizado, mas aqui em Itaituba são pouquíssimas as pessoas que se preocupam com esses detalhes e eu sou um dos que remam contra essa corrente que querem perpetuar a ideia de que aqui é o lugar que tudo pode. É uma cultura do mal que parece já estar no intimo das pessoas, pois  com a maior naturalidade, cada um faz o que quer e do jeito que lhe convém.
As construções não obedecem ao alinhamento padrão das ruas, são erguidas em cima de córregos, os entulhos são lançados no meio das ruas e como o código de postura do município há muito tempo virou uma letra morta, o poder público, naturalmente, acaba sendo responsabilizado por essa bagunça urbana, e em vez de agir para resolver esse problema, o governo continua a fazer vista grossa em nome do desenvolvimento.
O município já está cheio desses empresários que sem o mínimo de responsabilidade social, só pensam no dinheiro, e enquanto o governo não deixar de lado esse seu pensamento mesquinho de que contrariar interesse resulta em perda de apoio político, a cidade vai continuar como está, cheia de invasões e construções irregulares.

Weliton Lima, jornalista, comentário veiculado no telejornal Focalizando, de quinta-feira, 19/11/2015