quinta-feira, outubro 22, 2015

Voltando ao local do crime

Se não fosse o seu instinto perverso que o fez matar por motivo fútil um ancião na cidade de Estrela do Norte no estado de Goiás, provavelmente Dejacir Ferreira ainda estaria em liberdade, e a crônica policial em torno do triplo assassinato da advogada Lêda Marta, da menina Hanna e da jovem Hellen Taynara, ficaria com uma grande lacuna, restaria um sentimento de que mesmo com a prisão do acusado de ser o mandante do crime, a justiça não estaria sendo feita por inteiro.
Quis, quem sabe o destino, que mais uma vitima tivesse que tombar pelas mãos criminosas de Dejacir Ferreira para que ele fosse preso e trazido de volta a Itaituba para responder pelo mais cruel e bárbaro crime de toda a sua extensa ficha policial. E agora com a prisão de Dejacir as dúvidas até então mantidas em torno desse crime, vão ser esclarecidas, a principal delas é sobre o possível envolvimento do ex-marido da advogada Lêda Marta como sendo o mandante do crime.
Os depoimentos prestados por Dejacir apontam para essa direção, e a convicção é tanta que o advogado Altair dos Santos já tem vários pedidos de Habeas Corpus negados, o ultimo pelo Superior Tribunal de Justiça, na semana passada.
Passado exato um ano e oito meses desse crime que chocou a sociedade itaitubense, os familiares e  amigos das vitimas que ao longo desse tempo lutaram para evitar que seus autores ficassem impunes, com certeza, agora já se sentem um pouco mais aliviados somente em saber que os acusados estão presos e a disposição para que a justiça finalmente comece a ser feita.

Weliton Lima, jornalista, comentário do Focalizando, quinta-feira, 22/10/2015