terça-feira, outubro 27, 2015

Dia 29 de outubro, Dia Internacional do AVC

Uma história comovente de quem venceu o AVC, sem se render às limitações
borogodo_solidario_eu_me_importo_avc.jpg
29 de Outubro é o Dia Internacional do AVC -World Stroke Day (29), data criada pela Organização Mundial de AVC (World Stroke Organization) e Federação Mundial de Neurologia para alertar o fato de ser uma das principais causas de morte e incapacidade no mundo, maiores que AIDS e câncer. Estudos recentes associam até dormir mal e poluição com o aumento de casos, mas a maioria é pela falta de prevenção: pessoas que não tratam colesterol, diabetes, pressão alta, fumantes, etc. A britânica Stroke Association divulgou crescimento de casos de AVC entre pessoas cada vez mais jovens na última década.
Erika Nigro, produtora de moda, é um exemplo de quem sobreviveu a este furacão. Aos 36 anos sofreu seu primeiro AVC e conta uma daquelas histórias que intrigam a medicina: estar em coma na UTI com muitos momentos de consciência. “Passei frio, fome e sede, mas não conseguia me comunicar. Deixavam a TV ligada, sem imaginar que eu acompanhava a novela e mudavam o canal em dia de jogo.
Até o bate-papo entre as enfermeiras me entretia, sem elas nem sonharem. Minha família chorava ao redor da cama e eu não entendia o ‘drama’, pois não houve nenhuma explicação a mim, diretamente, já que parecia desacordada”, conta. Voltou para casa, fez fisioterapia e tentou retomar a vida, até sofrer um novo AVC, pior ainda que o primeiro e precisou reaprender coisas básicas que já havia reconquistado, como falar, comer, tomar banho, andar.
Mas Erika é uma dessas pessoas bem resolvidas e se adaptou à nova condição, sem se limitar a ela. Antes dos 40 anos engravidou de seu terceiro filho e quis trabalhar. Com movimentos apenas do lado esquerdo, produzir não era mais uma opção, mas reformou uma casa de 2 andares e abriu uma loja de roupas novas e seminovas. Com os contatos que fez na moda, adquiriu peças grifadas de famosas como Barbara Paz, Cuca Lazzarotto, Regiane Alves, entre outras celebridades e o brechó ainda ganhou um diferencial sem querer. 
Sim, eles se importam! Celebridades como Regiane Alves, Barbara Paz, Suzy Rego, Sabrina Parlatore, Elaine Mickely e o marido Cesar Filho, Giselle Hermeto e o marido, o atleta olímpico Nicholas Santos, Marina Person, Cris Couto, Regina Volpato, Débora Vilalba, Patrícia Naves, Paulah Gauss, Laura Wie, Suzy Ayres, entre outros famosos se uniram para ajudar a dar visibilidade e a importância que o AVC merece, considerando o forte impacto socioeconômico que gera, por ser uma das principais causas de incapacidade em adultos. 
É a primeira causa de morte no país e a segunda no mundo, perdendo apenas para doenças coronarianas. Estima-se que faz 1 vítima a cada 5 minutos no Brasil. A data foi criada pela Organização Mundial de AVC (World Stroke Organization) e Federação Mundial de Neurologia.